0

Cortinas - Aprenda a escolher o tipo ideal para você

Elyzia Rodrigues | 14.12.16 | | | | | |
No post da semana passada sobre insônia, falamos que se você mesmo que seguindo todas as recomendações para uma boa noite de sono, ainda assim não dorme bem, o problema pode estar no seu quarto.

Foto: Forma Expressa

E um desses problemas pode ser a falta de uma boa cortina.

É muito comum me perguntarem se é mais adequado usar cortinas ou persianas em ambientes residenciais, mas o que eu sempre digo é: Depende do você quer em troca!

Quer no seu quarto luminosidade zero e o mínimo de ruídos?  As cortinas são ótimas opções. Cortinas com tecidos mais encorpados como veludo, sarja, jeans e linho conseguem atender bem essa exigência. Mas se prefere tecidos mais leves pode usar o forro e/ou o blecaute.

Foto: Pinterest

blecaute é um tecido composto de PVC e consegue bloquear totalmente a luminosidade, principalmente se o comprimento vai até o chão. Podem ser usados nos quartos e também na sala de TV ou home-theater.

Já os forros bloqueiam 70% da luminosidade e são mais maleáveis que o blecaute que têm aparência plástica.

Quer somente deixar seu quarto mais aconchegante e bonito?

Foto: Casa Abril


Dá para combinar a cortina em voal, um tecido sintético mais leve, com telas solares ou outros modelos de persianas como as de fibras naturais de bambu, juta ou palha, mas eles escurecem pouco o ambiente.

Segundo a Cláudia da Universo Decorações, uma desvantagem da persiana é que deve ser usada em ambientes refrigerados, ou em janelas fixas, pois nos dias quentes se as janelas ficarem abertas corre-se o risco de danificá-las pela ação do vento. Além disso, a batida repetitiva da persiana na janela sempre incomoda até os mais tranquilos.

Foto: Delas

Cortina não é só um pedaço de tecido preso em um suporte, para garantir um toque especial pode-se escolher diferentes tipos de pregas. Os tipos mais usados são as pregas fêmea, ilhós e pregas americanas.


Para cada camada de tecido é preciso um trilho. Os trilhos encontrados no mercado podem ter uma, duas ou três guias.  O ideal é que ele seja usado quando houver cortineiro para que fique escondido.

Foto: Ourometal

O varão é a opção quando não há cortineiro ou quando se quer fazer dele parte importante da decoração do ambiente. Há vários modelos no mercado desde os de linhas mais simples até os mais rebuscados.

Foto: Emcortinados

Muitas cortinas são feitas de tecidos naturais e acumulam muito pó em suas fibras, nesse caso para pessoas alérgicas essa opção não é a ideal e escolha deve ser pelas persianas de madeira ou alumínio que não acumulam muito pó e a limpeza pode ser feita somente com um pano úmido e limpo. Um cuidado ao escolher tecidos de fibras naturais é ter a garantia que ele foi pré-encolhido.

Foto: Forma Expressa

A maioria das cortinas pode ser lavada na máquina de casa, essa limpeza deve ser feita com sabão neutro e de preferência não usar amaciante.

Na cozinha dê preferência para as persianas, principalmente as de alumínio e as telas solares ou faça uma cortina com um tecido mais durável que consiga suportar constantes lavagens.

Foto: Local Blinds

As cortinas são vendidas sobre medida, mas para ter uma ideia de como acontece o cálculo do tecido, se faz da seguinte forma:

Imagine uma janela de 2,0m de largura, meça a largura da janela e multiplique por dois:
2,0 x 2 = 4,0m.
Então tire a medida da altura do pé-direito, vamos considerar 2,60m e some 60,0cm, esta medida é suficiente para a confecção da barra e do cabeçote: 2,60m + 0,60m = 3,20m.
Por fim, multiplique os resultados: 4,0m x 3,20m = 12,80 m.
Estamos considerando um tecido com 1,40 m de largura. Caso ele tenha 3,0m de largura, poderá ser usado na horizontal, o que dispensa emendas.
A metragem necessária, nesse caso, cai pela metade, então atenção que você pode economizar.




Não existe uma regra, cortinas e persianas tem vantagens e desvantagens. Cada pessoa vai escolher entre uma e outra ou mesmo escolher as duas de acordo com o que é prioridade.

Como vimos há uma enorme variedade de cores, composição e texturas e uma variedade maior ainda de composições que os ambientes podem ter.

Sendo assim, peça ajuda de um arquiteto de interiores para que ele oriente você compatibilizando a sua necessidade com seu gosto e sua capacidade financeira.

E para isto estamos aqui.


Foto: Assim eu Gosto

Nenhum comentário:

Postar um comentário