Dica da Arquiteta

Dica da Arquiteta

Livro: Arquitetura sob o olhar do usuário

Elyzia Rodrigues | 19.7.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
O livro "Arquitetura sob o olhar do usuário", escrito pelos professores da Faculdade de Arquitetura da Universidade Tecnológica de Delft (Holanda), Theo J. M. van der Voordt e Herman B. R. van Wegen, esclarece a importância da Arquitetura centrada no usuário, sob uma perspectiva histórica, dos mais diferentes tipos de edifícios, como prédios empresarias, hospitais e moradias, entre outros.

Permite a arquitetos, docentes, pesquisadores e estudantes o aprendizado de uma Arquitetura voltada às necessidades do ser humano, sem se distanciar do olhar estético.
A vasta experiência dos autores aliada a referências bibliográficas pertinentes e atualizada esclarece ao leitor não só o conhecimento teórico, mas também os exemplos práticos.
Um dos objetivos do livro é mostrar como o conceito de qualidade funcional pode tornar-se mensurável. Após uma breve introdução do desempenho da edificação, sua qualidade funcional e arquitetônica, o livro traça um histórico das várias escolas arquitetônicas, com exemplos práticos brasileiros e internacionais.
A partir de reflexões sobre a Arquitetura contemporânea, os autores apresentam a relevância do programa de necessidades como etapa pré-projeto no processo de ambientes construídos, essencial na condução das etapas posteriores.

O livro explica o passo a passo para desenvolver o programa de necessidades e descreve metodologicamente as alternativas para a realização dos projetos.

Theo J. M. van der Voordt e Herman B. R. van Wegen avaliam a pós-ocupação, destacando exemplos e o resultado nos ambientes em uso, conferidos permanentemente por especialistas e pelos usuários, completando o ciclo de vida útil dos espaços e servindo de exemplo para futuros empreendimentos.
O capítulo final descreve uma lista com as escalas de avaliação e outros métodos e instrumentos que permite aliar design, qualidade funcional, valor e bem-estar do início ao final do projeto arquitetônico.

Continue lendo ►

Telhados verdes são sustentáveis?

Elyzia Rodrigues | 12.7.16 | | | | | | 2 Comentários
O telhado verde é, talvez apenas abaixo das placas fotovoltaicas, o detalhe construtivo mais comentado no mundo da sustentabilidade.

No entanto muitas vezes o cidadão comum encontra uma certa dificuldade quando quer apenas conhecer a viabilidade dessa solução para sua casa ou edifício, e provavelmente não irá recebê-la de forma totalmente imparcial de um vendedor.

 Foto: Obvius Mag
Telhado Verde - City Hall - Chicago - EUA

O termo ‘Telhado Verde’ é comumente utilizado para descrever telhados cobertos com vegetação. No entanto o sistema é muito mais amplo: coberturas com painéis solares, brancas com alta emissividade e refletividade ou até mesmo telhados com telhas shingle de grande duração podem ser considerados telhados verdes, ou sustentáveis.
O termo correto seria ‘Telhado Verde com Vegetação’, mas se o termo é amplamente utilizado em todo o lugar, nós é que não iremos mudar, então chamaremos aqui também de Telhado Verde.

VEJA AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS TELHADOS VERDES

O telhado verde possui uma variação de preço entre R$100,00 a R$150,00/m² dependendo do tipo e região, e tem certamente um custo de implantação inicial maior (geralmente o dobro) do que telhados convencionais ou lajes impermeabilizadas.

 Foto: SustenArqui
Millenuim Park - Chicago - EUA

Olhando superficialmente não parece vantajoso, certo? A vantagem surge se considerarmos o ciclo de vida completo da estratégia, pois sua duração é em média o dobro do tempo da opção convencional.

Dificilmente uma solução comum irá durar mais de 20 anos sem manutenção, já o telhado verde, apesar de exigir cuidados específicos e periódicos, pode durar o dobro, além de proteger a laje concentrando e suportando as diferenças de temperatura e insolação.

TIPOS DE TELHADOS VERDES:
  • Intensivo (ou semi): é mais espesso e suporta uma maior variedade de plantas. No entanto é mais pesada e exige maior manutenção. A espessura mínima de instalação é de 20cm. Exige um cuidado especial na consideração dos cálculos estruturais, que considera nos edifícios em concreto armado no caso do Brasil uma carga média de 300Kg/m².

Foto: Greenroorguide


  • Extensivo: mais fino e leve, com no máximo 8,0cm de espessura e coberta tipicamente com forração. É mais viável financeiramente, no entanto não suporta tanta carga de águas pluviais.


Foto: Greenroorguide



INCENTIVOS POLÍTICOS PARA TELHADOS VERDES
Existem diversas leis e decretos sendo aprovadas nas câmaras sugerindo a obrigatoriedade dos telhados verdes com vegetação. Comprova-se aqui uma falta de comprometimento real, tanto em se entender o termo de forma mais ampla com suas diversas variedades (como os blue roofs e outros descritos acima) quanto não diferenciar e criar um incentivo maior justamente para grandes centros urbanos onde existe uma grande necessidade da solução.

Também não sugere normas essenciais, como a ANSI Fire Design Standard, que delimita áreas máximas para evitar a propagação do fogo em grandes centros urbanos, nem a ANSI Wind Design Standard, que sugere usos de espécies e a não utilização para áreas sujeitas a ventos extremos.

 Foto: SustenArqui
David Shankbone - Rockfeller Center’s Rooftop Gardens

Continue lendo ►

Piso cimentício - durável, resistente, versátil

Elyzia Rodrigues | 5.7.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Atualmente existe no mercado uma infinidade de alternativas de revestimentos que podemos usar em nossos projetos, o que nos possibilita escolher o melhor deles quando consideramos itens como durabilidade, resistência e preço, além da estética.

Foto: Lugar Certo  

Já falamos em outras postagens do piso de cimento queimado, da granilite e também do piso epóxi autonivelante, hoje é a vez do piso cimentício.

O piso cimentício é feito á base de concreto ou concreto branco estrutural, dependendo do fabricante, e outro tipo matéria-prima, muitas vezes reciclada, produzidos de forma artesanal. 
O consumo de energia para produzi-lo é baixo, sua cura é feita sem utilização de fornos, o que faz dele um produto mais sustentável.


Continue lendo ►

Curso de Aprovação de Projeto no Corpo de Bombeiros

Elyzia Rodrigues | 4.7.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
No dia 02 de Julho comemora-se o dia do Bombeiro Brasileiro, e nesse mesmo dia se inicia a Semana de Prevenção contra Incêndios, então aproveitando essas datas a dica de hoje é sobre esse assunto!


Nós arquitetos temos habilitação para assinarmos um Projeto de Prevenção e Combate à Incêndio e Pânico... Nossa formação em Arquitetura nos permite... Mas realmente somos capacitados? Sabemos fazer? Uma coisa é uma coisa... Outra coisa é outra coisa... Não é mesmo?

Para fazermos um projeto de edificação, por exemplo, previamente deveríamos entender as interferências de uma rota de fuga... De exigências da caixa de escada... Porta corta-fogo... Escada enclausurada... Distâncias de segurança entre vão de iluminação e ventilação... Sentido de abertura de portas sobre circulações/rota de fuga/acessibilidade... Um projeto arquitetônico que não prevê as interferências possíveis para adequação ao Projeto de Prevenção e Combate à Incêndio e Pânico pode inviabilizar o empreendimento... E a falta de entendimento não pega muito bem com nossos clientes... E nosso lado profissional ficará abalado... Sem falar na responsabilidade profissional...


Continue lendo ►

O que é Light Steel Frame?

Elyzia Rodrigues | 28.6.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Qualquer pessoa, quando pensa em construir, a primeira ideia que vem a mente é a construção em alvenaria, além disso, o grosso da mão de obra também só tem experiência nesse tipo de sistema. 

Foto: Smart Housing


Porém, por não ter se desenvolvido tecnologicamente ao longo dos anos, esse sistema construtivo ainda continua com sérios problemas como o grande consumo de água, a grande quantidade de lixo produzido, desperdícios de materiais, a falta de precisão nos detalhes e, o pior de tudo, a falta de controle com prazos e custos. Os valores finais de custo e prazo de construção de uma casa podem dobrar, por melhor que seja a mão de obra contratada.

Sendo assim, se você realmente vai investir na construção da sua casa e quer ter um controle mais eficiente no prazo e principalmente nos custos, você terá que considerar soluções alternativas.

Mas quais são as alternativas? Conhece o sistema Light Steel Frame?


 Foto: Blog Renato Rayol
Arquitetura: Renato Rayol - Manaus - 2013

O Light Steel Frame (LSF) ou estrutura de aço leve é um sistema de construção a seco comumente usado em países como EUA, Japão, Canadá, no continente Europeu, além de Argentina e Chile. No Brasil é mais encontrada em construções industriais principalmente.

O conceito estrutural consiste em dividir as cargas em um maior número de elementos estruturais, sendo que cada um é projetado para receber uma pequena parcela de carga.

Por isso é um sistema constituído por uma estrutura de perfis de aço galvanizado de pequeno peso e espessura que formam um esqueleto estrutural autoportante, composto de painéis, vigas, tesouras de telhado e outros elementos, projetados para suportar as cargas da edificação. 


Cobrindo este esqueleto estrutural são fixadas placas de vedação internas e externas, isolamentos termo acústicos e barreiras, gerando uma construção com aspecto final semelhante ao da construção convencional, porém de qualidade superior.

O sistema construtivo Light Steel Frame embora ainda não seja conhecido da maioria das pessoas e por sofrer preconceito em razão desse desconhecimento, é uma sistema que apresenta uma série de vantagens que fazem dele uma excelente opção.

Foto: Chez Moiz
Arquitetura: Construtora Monreal - Curitiba

O sistema Ligth Steel Frame exige mão de obra especializada, por ser um sistema de construção á seco garante a sua obra algumas características:

1-Construção Sustentável: baixa utilização de água, economia de energia, utilização de material reciclável e baixo volume de resíduos gerados;
2-Menor tempo de construção: prazo de obra em torno de 30 a 35% menor do que prazo da obra em alvenaria convencional;
3-Versatilidade: permite executar variados partidos arquitetônicos;
4-Obra Limpa: canteiro se mantém mais organizado e com baixíssimo desperdício de material;
5-Maior controle sobre os custos;
6-Precisão construtiva: obra com esquadro e prumo impecáveis, obedecendo rigorosamente ás medidas de projeto arquitetônico;
7-Melhor controle do canteiro de obras com mão de obra altamente qualificada e em menor volume.

Foto: AW Distribuição

A construção em Light Steel Frame possui peso próprio muito menor que a construção convencional de alvenaria. Isso reduz consideravelmente as cargas na fundação, gerando economia nesta etapa da obra, que pode chegar a 75%.

A fundação mais comum utilizada é a do tipo Radier, uma laje em concreto armado leve, executada sobre isolamento hidrófugo. Para terrenos com topografia mais acidentada, o cálculo estrutural indicará o tipo mais adequado de fundação, porém é certo que as dimensões serão reduzidas em função da leveza da edificação.

O revestimento externo do sistema Ligth Steel Frame pode ser feito de duas maneiras, uma delas é fazer a vedação com placas cimentícias parafusadas diretamente nos perfis da estrutura, as juntas entre as placas devem ser fechadas com massa elastomérica e tela. Essas placas são instaladas sobre uma barreira de vapor que impede a entrada de água, mas deixa a parede respirar, evitando condensação de água em seu interior.

Foto: Fastcon

A outra maneira é fazer um revestimento usando um agregado de elementos (OSB, barreira de vapor, EPS, tela em fibra de vidro e argamassa elastomérica), que possui alto desempenho térmico e acústico e acabamento final monolítico, liso e sem trincas.

Já o revestimento interno é feito com placas de gesso acartonado parafusadas sobre os perfis das paredes ou em forros estruturados e recebem tratamento nas juntas, gerando aspecto final liso e sem emendas.

Foto: Fastcon

As placas de gesso acartonado possuem composição adequada para cada tipo de área a ser aplicada, placa tipo Standard (ST) para áreas secas e placa tipo Resistente à Umidade (RU) para áreas úmidas, como banheiros e cozinhas. Para saber mais sobre isso clique aqui.

Uma das maiores vantagens propiciadas pela construção em Light Steel Frame é o seu desempenho térmico e acústico, que propicia conforto e qualidade no ambiente. Essa característica é conseguida em função do desempenho superior das mantas de lã de vidro ou de poliéster instaladas no interior das paredes e no forro de toda a edificação. Estas mantas são fabricadas em material poroso, dotado de grande capacidade de absorção, que reduz grandemente a transição de som e calor entre ambientes.

Foto: Fastcon

As instalações elétricas e hidráulicas no sistema Light Steel Frame são projetadas e executadas seguindo os mesmos princípios e materiais utilizados na construção convencional, com a diferença que devido ao vazio interno de paredes e forros e a presença de furos nos montantes, é possível uma execução rápida e sem quebra-quebra.

A grande vantagem oferecida pelo sistema é a facilidade de execução dessas instalações, pois, devido ao vazio interno de paredes e forros e a presença de furos nos montantes, é possível uma execução rápida e sem quebra-quebra.

Foto: Sigivilares

Optar para que a obra de sua casa seja executada utilizando o sistema Light Steel Frame resulta em uma edificação com aspecto similar aos sistemas tradicionais, porém com acabamento final superior, maior conforto térmico e acústico, um canteiro de obras limpo e prazo de execução reduzido.

O sistema Ligth Steel Frame integra tecnologia, resistência, sustentabilidade, durabilidade e agilidade, sendo por isso uma excelente opção para execução de residências que vem cada vez mais conquistando o mercado brasileiro.

Veja também: 


Continue lendo ►

Empresa mineira lança aquecedor solar com a maior eficiência do mercado

Elyzia Rodrigues | 21.6.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Está pensando que mineiro é bom só no pão de queijo?
Se enganou!
Aqui tem gente boa em sustentabilidade também! 

Foto: RenovAr Soluções Sustentáveis
 
A RenovAr é uma empresa de aquecedores solares, dos sócios Nilson Dias e Marcio Casici que tem realizado diversas instalações de captação alternativa de energia atendendo na região sudeste do Brasil.

Nilson Dias é ainda fundador do Instituto Pindorama, uma organização sem fins lucrativos que promove a educação para sustentabilidade e qualidade de vida que já auxiliou centenas de pessoas a realizarem seus sonhos.

Cada painel de 2,0x1,0m gera o equivalente a 168 kWh/mês e custa menos de R$ 1.000,00, sendo o único no mercado a possuir o novo selo A de 2016 do INMETRO, o equipamento promete revolucionar o mercado brasileiro.
 
Foto: RenovAr Soluções Sustentáveis

 
Você sabia que entre 18h e 21h os chuveiros elétricos correspondem a 20% de toda demanda de energia elétrica no Brasil? Este tipo de equipamento, muito pouco eficiente, é um dos grandes vilões da economia doméstica e do meio ambiente.

Já há algumas décadas os aquecedores solares têm se popularizado no Brasil, uma tecnologia que ajuda a mudar esta realidade e possibilita a cada  um fazer sua parte pelo meio ambiente.

As primeiras placas dos aquecedores solares que surgiram no mercado eram feitas de esquadrias de alumínio e vidro comum, que não resistem às chuvas de granizo.
 
É um equipamento de baixo custo que gera em torno de 68kWh/mês por m² e ainda hoje tem seu papel em cidades mais quentes do Brasil.

Foto: RenovAr Soluções Sustentáveis


Depois a Sociedade do Sol lançou um curso e capacitou milhares de pessoas para fazer os ASBC ou aquecedores solares de baixo custo, feitos com placas de PVC e canos.
 
A ideia é boa, mas o equipamento produzido é frágil, não resiste a ventos fortes nem à chuva de granizo e acaba se tornando quebradiço ao longo do tempo com á constante exposição do sol.

Mais recentemente chegaram ao Brasil os aquecedores de tubos à vácuo, uma tecnologia importada dos países com neve.
 
Com rendimento de 81,2kWh/mês e com propriedades de isolação térmica altíssima, este sistema aquece mesmo em dias nublados e chuvosos e resiste às chuvas de granizo e ao congelamento.
 
 Foto: RenovAr Soluções Sustentáveis
 
Sua desvantagem é o preço e na hora da instalação se deve ter muito cuidado pois ele não é resistente à choques térmicos, podendo estourar a ampola com o choque da água fria caso a mesma tenha sido aquecida pelo sol.

AS NOVAS PLACAS MONTADAS NO BRASIL 
 
Com algumas peças importadas e a maior parte sendo de fabricação nacional, as novas placas Fusion estão sendo montadas no Brasil.
 
Foto: RenovAr Soluções Sustentáveis
Continue lendo ►

Espiritualidade e decoração

Elyzia Rodrigues | 14.6.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Junho é um mês típico de comemorações religiosas, também pudera, são pelo menos 3 santos de devoção de muita gente.

Foto: Santo Antônio , São João e São Pedro

No dia 13/06 é  dia de Santo Antônio, no dia 24/06 vem o dia de São João e no dia 29/06, São Pedro.
Para algumas pessoas a devoção é tão importante que muitas vezes elas têm um altar dedicado a eles em sua própria casa.

Mas como podemos aliar a nossa fé e espiritualidade na composição da decoração das nossas casas?

Foto: Decor Salteado
Arquitetura: Flávio Moura

Não existe essa regra de esconder as peças sacras e objetos religiosos dentro de casa, eles podem ser muito bem incorporadas á decoração e nada de achar que as pessoas que as deixam espalhadas pela casa são fora de moda.

Nada disso!

Foto: Campinas Decor
Arquitetura: Bruna Fernanda e Liliane Bigaram

Muitas peças religiosas também são requintadíssimas obras de arte e muitas pessoas colecionam simplesmente por estética ou interesse cultural sem nenhuma razão ligada á religião ou fé.

Independente da crença, segundo a grande maioria das tradições, toda casa deve ter um local dedicado á espiritualidade, ao sagrado.

Foto: Ganesha

Esse espaço que tanto pode ser uma pequena capela, um pequeno altar, como também  aquele canto especial em que as pessoas da casa buscam para conseguirem se aquietar, para obter clareza mental e conforto ás suas aflições, através de orações, meditações e leituras.

Um altar é um lugar específico que arrumamos com cuidado e carinho especiais, juntando ali tudo de que gostamos muito, coisas que nos trazem a sensação de paz, amor, fé, proteção, abundância e felicidade.

É o nosso ponto de ligação com a nossa espiritualidade.

Foto: Casa Vogue

As peças sacras ou as peças que consideramos sagradas podem ser incorporadas a qualquer ambiente da casa ou estilo de decoração.

Imagens de santos, orixás, anjos, arcanjos, deidades hindus, quadro com fotos e orações de mestres ou gurus, taças, talismãs, fontes, velas, incensos, pedras, óleos essenciais ou flores.

Foto: Simplichique

Eles podem estar em prateleiras, nichos, mesas de canto ou de centro, aparadores, oratórios na parede. Na sala, no canto do quarto, no final de um corredor, próximo á entrada ou mais reservado, não importa.

Não importa nem mesmo que você não tenha religião, o importante é criar um ambiente que lhe traga paz de espírito.

Foto: Folha de Londrina

Continue lendo ►

Quanto custa construir uma casa?

Elyzia Rodrigues | 7.6.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Muitas pessoas me perguntam sobre estimativa de custos para se construir uma casa.
A construção de uma casa terá custos que vão variar em função de três itens principais:
A área a construir, o tipo de acabamento escolhido e a complexidade de elaboração do projeto ou dos sistemas construtivos.

Foto: Nelson Kohn
Residência São Paulo - 1949
Arquitetura: João Batista Vilanova Artigas

A primeira coisa a dizer é: contratar um arquiteto é a melhor forma de economizar recursos.

É importante salientar que mesmo em terrenos planos, dependendo da região em que ele se encontra, haverá necessidade de fazer sondagem no terreno. Essa sondagem é fundamental para a escolha do sistema construtivo mais adequado ao projeto

É através do levantamento topográfico que se verifica se as medidas do terreno constantes nos documentos estão corretas.

Foto: Pinterest

Se considerarmos que cada etapa da obra tem um custo mais ou menos estável em relação ao custo total e que o projeto de arquitetura será concebido fazendo uso de sistemas construtivos convencionais (como concreto armado) e não haja nenhuma característica fora do comum.

Continue lendo ►

9 presentes para o arquitetx da sua vida

Elyzia Rodrigues | 3.6.16 | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
O amor está no ar!

No próximo dia 12 de Junho tem troca de presentes, afinal será o Dia dos Namorados.
Namora um arquiteto ou arquiteta?  

Então hoje resolvi antecipar e deixar aqui uma lista com sugestões de presentes para você não deixar pra última hora.


Foto: Pôster Archisutra
Federico Babina

Alguns produtos precisam ser encomendados. Então se apresse!

1)- LIVROS
Seu amor é do tipo que adora um bom livro?

Então aqui vão alguns:

Antonio Risério se dedica neste livro “Mulher, casa e cidade”, a estudar a presença e o papel da mulher nos campos da arquitetura, urbanismo e design (sobretudo, mas não só, no Brasil), articulando obras e autores variados, e passeando pela história, antropologia, literatura e artes plásticas com a liberdade de pensamento e expressão que fazem dele um dos mais importantes ensaístas brasileiros de nossos dias.
Valor médio: R$77,00

 

O livro “Caminhos da Arquitetura” reconstrói com ensaios, discursos e entrevistas a trajetória do arquiteto.

O livro ganhou uma nova organização conduzindo o leitor pelos primeiros escritos, as aulas inaugurais, ensaios sobre o projeto moderno e depoimentos e entrevistas que revisam sua trajetória pessoal. Também incorpora “A função social do arquiteto”, material de seu concurso para professor titular da FAU-USP em 1984.

No livro Vilanova Artigas discute com grande clareza e lucidez o papel histórico e social da arquitetura moderna. Valor médio: R$75,00.

Continue lendo ►