Dica da Arquiteta

Dica da Arquiteta

Você conhece o Ecogranito?

Elyzia Rodrigues | 23.8.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Construir utilizando processos mais industrializados é uma tendência cada vez mais evidente.

A necessidade de minimizar os custos de produção, unida a necessidade de materiais com aplicabilidade mais prática e rápida, em razão do pouco desenvolvimento técnico da mão de obra, tem levado a indústria de construção a desenvolver diferentes alternativas de produtos.

Foto: Imgrum

E esse desenvolvimento tecnológico amplia a cada ano a oferta de revestimentos com variadas características.

Fabricado a partir de resíduos gerados do processo de extração de mármores e granitos misturados a resina acrílica, coalescentes, espessantes, microbicidas não metálicos, pigmentos inertes e água, o Ecogranito é um produto de aplicação simples e rápida, além de oferecer grande versatilidade de uso.

O Ecogranito pode ser aplicado em superfícies de diferentes formatos, mesmo aqueles em curvas circulares ou ovais e de formas mais orgânicas. As emendas de aplicação são imperceptíveis, permitindo retoques e consertos sem criar diferenças de acabamento.

O Ecogranito é fabricado com uma tecnologia que permite que o produto transpire, proporcionando ao ser aplicado um ambiente interno mais agradável e com maior resistência a infiltrações se comparado a outros tipos de revestimentos do mercado.

Foto: Habitissimo

Resistente à exposição solar, chuva, poeira, poluição, tem com comportamento semelhante à pedra natural.

O Ecogranito é um revestimento de forma pastosa que vem pronto para ser aplicado. Sua aplicação é simples, com menos etapas, e alta produtividade da equipe de execução.

É um produto com baixo índice de perda e/ou desperdício, devido à alta aderência do produto e facilidade de aplicação, pode ser aplicado em diversos materiais como outros tipos de revestimentos, vidro, metal, isopor, plástico, entre outros.

Para uma aplicação de qualidade, a superfície a ser aplicada deve estar seca, nivelada, limpa de poeira, gorduras e mofos.

Foto: Lugar Certo

Para remoção de manchas de gordura ou graxa será preciso lavar a superfície com solução de água e detergente neutro, já as paredes com mofo, deve-se lavar com solução de água sanitária, nos dois casos, enxaguar bem e aguardar secagem.

As paredes de blocos de cimento nivelar os espaços formados pelas juntas com reboco traço 3:1, para paredes externas indica-se argamassa CIII, aguardar tempo de cura caso seja nova.

Depois de tratar a superfície, aplicar duas demãos de selador com intervalo de 6 horas entre elas, em 24 horas pode-se aplicar o Ecogranito.

 Foto: Ecogranito
Antes de iniciar a aplicação é preciso dividir a superfície em quadrantes com fita dupla face espumada, sem retirá-las do lugar aplica-se o Ecogranito com uma desempenadeira com uma espessura de 2,0mm alisando até dar o acabamento ao material.

É importante não deixar a massa de Ecogranito secar na desempenadeira, pois isso vai dificultar o alisamento, para isso não acontecer, deve-se mantê-la sempre  molhada.
Após aplicação do Ecogranito, retirar as fitas adesivas espumadas e alisar suas laterais. Os locais em que a fita foi retirada deixam à mostra o primer aplicado anteriormente, dando a impressão que o Ecogranito é uma peça com rejuntes.

A secagem total do produto ocorre em 7 dias e a cura em 60 dias.

 Foto: Habitissimo

O fabricante oferece garantia de 5 anos, mas se bem conservado pode durar mais.

A aplicação do selador e do Ecogranito deve ser evitada em dias chuvosos ou muito úmidos.

Para limpeza da superfície, usar água e sabão neutro, pode também usar água pressurizada, mas somente depois dos 60 dias de cura.
Para mais informações sobre como aplicar o Ecogranito, clique aqui.

Continue lendo ►

Guarda-sóis gigantes da Arábia Saudita

Elyzia Rodrigues | 19.8.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Localizada em Al Madinah na Arábia Saudita, Al-Masjid al-Nabawi é uma das maiores mesquitas do mundo, e a segunda mais visitada do Islã construída pelo Profeta Mohammed.

Milhões de peregrinos se reúnem nos átrios revestidos em mármore, portanto essas praças abertas tiveram que ser eficientemente climatizadas.

Foto: Dunia Timteng
Al-Masjid al-Nabawi -  Al Madinah - Arábia Saudita
Arquitetura: SEFAR Architecture - 2010


Os designers alemães, SL-Rasch, em colaboração com SEFAR Architecture propuseram uma forma engenhosa de telhado que melhorou o microclima da mesquita sem destruir o seu caráter arquitetônico.

Em novembro de 2010, eles completaram a "plantação" de uma floresta de guarda-sóis dobráveis e gigantes, cada um com cerca de 20 metros de altura.

Eles são os maiores guarda-sóis construídos até hoje.

Foto: Geolocatoin

Os guarda-sóis trabalham em conjunto para constituir um telhado conversível, que cobre uma área total de 143.000 m², que é maior do que a área de chão da mesquita.

Para ter o resultado esperado e fornecer aos peregrinos com sombra ideal e microclima adequados, os protetores solares de alta tecnologia são feitas de um material especial chamado tecido de PTFE, capaz de resistir à radiação UV agressiva.

Além disso, o material tem uma resistência extremamente elevada à tração devido à carga de vento, resistência ao fogo, e valor máximo de flexibilidade, bem como proteção eficaz e transmissão de luz adequada.
Como flores desabrochando, todos eles são programados para abrir e fechar simultaneamente em sequência minuciosamente calibrada para evitar colisões entre as suas partes móveis.
Este procedimento leva três minutos, oferecendo uma cena fascinante para assistir.
Continue lendo ►

Piscina com cara de praia

Dica da arquiteta | 9.8.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Como vimos na postagem sobre piscinas da semana passada, a piscina de concreto necessita de revestimento e há inúmeras variedades de revestimentos disponíveis no mercado.

Foto: Cristal Pool

A dica principal é escolher aquele que possa garantir beleza e praticidade de execução e manutenção, segurança ao usuário e também um custo compatível com as condições de investimento.

A manta de PVC ou vinil como já dito anteriormente é um produto de instalação rápida que dispensa a impermeabilização, de manutenção fácil e custo acessível.

Foto: Piscinas de Areia

Há também revestimentos de cerâmica em diversos tamanhos, linhas de acabamentos e pastilhas com uma infinidade de cores e custos.

Mas se tiver condições de investir um pouco mais e quiser um projeto mais moderno, chegou há pouco mais de 5 anos ao mercado brasileiro uma argamassa especial com cristais coloridos de quartzo e aditivos impermeáveis de origem americana.

Foto: Cristal Pool

O revestimento cristal é uma massa semi-pronta que misturada na água pode ser aplicada nas paredes laterais e no fundo das piscinas feitas de concreto, depois de devidamente impermeabilizadas, criando um acabamento contínuo sem rejuntes ou juntas. Sua aplicação é manual e rápida como argamassa comum.

O revestimento cristal é um produto antiderrapante e atérmico, impermeável e resistente.

Foto: BR Piscinas

A fabricação do revestimento cristal no Brasil sofreu algumas adaptações no acabamento final, pois utiliza um polimento diamantado feito sob a água que garante uma superfície mais agradável ao toque do que o acabamento final dos projetos americanos. Esse polimento é feito depois de 3 dias de cura.

É um produto ideal para revestir projetos de piscinas com formas mais orgânicas ou arredondadas, projetos que criam praias e ilhas artificiais ou com borda e fundo infinitos.

A composição dos cristais de quartzo da argamassa cria uma textura com tonalidades que variam em função da profundidade da piscina e da intensidade e ângulo de incidência do sol sobre a água.


Foto: Houzz

É fácil de limpar, seus aditivos impermeáveis funcionam protegendo a qualidade do produto da exposição constante aos raios ultravioletas e também de produtos como cloro e agentes fungicidas.

O sistema de filtragem e tratamento de água é o mesmo para os demais tipos de piscinas.

O tempo de execução de uma piscina com o revestimento cristal varia de acordo com o projeto, ficando pronta em um período de 40 a 45 dias.

Foto: Getninjas

Já conversou com seu arquiteto?

Então corra, a hora de concretizar o sonho de ter uma piscina em casa é agora!

As postagens abaixo podem ser interessantes para você:
Pastilhas de vidro - Quadradinhos adoráveis
Como escolher um ralo perfeito
Piso cimentício - durável, resistente e versátil


Fonte:
Piscina de Areia
Cristal Pool
Nado Livre Piscinas
ANAPP
Obra 24 horas
Casa Dois
Continue lendo ►

Piscina de concreto, vinil ou fibra de vidro?

Dica da arquiteta | 2.8.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Sabe qual a melhor época para concretizar o sonho de ser ter uma piscina em sua casa?
Agora!
Sim, a construção de uma piscina requer projeto, planejamento e prazo e é nessa época do ano que você pode economizar até 15% nos custos para realização deste sonho, pois no inverno ninguém pensa em piscina, logo a demanda por fornecedores é menor.

Foto: Pinterest

Existem diferentes tipos de piscinas no mercado com diferentes orçamentos, prazos para instalação, dificuldade ou não de manutenção, com diferentes formas e materiais de revestimentos.

As piscinas podem ser de concreto, vinil, fibra, assim como podem ser projetas com borda infinita, de forma retangular, circular, em forma de raia olímpica. Tendo revestimento em pastilhas, placas cimentícias, argamassa monolítica ou qualquer outro revestimento adequado para essa função.


Foto: Mundo das Tribos

São inúmeras as possibilidades e é por essa razão que é fundamental a presença de um profissional de arquitetura para adequar a piscina dos seus sonhos dentro da sua possibilidade de investimento no terreno que será instalado, além da relação adequada entre áreas de sol e sombra, drenagem, inclinação da borda, paisagismo mais adequado e segurança dos usuários.

TIPOS DE PISCINA
 
CONCRETO

As piscinas de concreto possibilitam grande flexibilidade quanto ás formas, dimensões e tipos de revestimento que podemos utilizar, são as piscinas com a vida mais longa, mas também as que necessitam maior prazo para construção, pelo menos 45 a 60 dias.

 Foto: Pereira Pereira

As piscinas são feitas através de paredes de blocos de concreto, cintas de amarração, fundo de concreto e ferro. Passado o período de cura da estrutura as paredes e fundo são impermeabilizados com mantas rígidas e semi-flexíveis e por último o revestimento mais adequado ao orçamento de cada projeto.

O cálculo da estrutura deve ser muito bem feito, assim como a execução da base e revestimento, pois qualquer etapa que for mal executada acarretará reparos caros e por vezes complicados.
Nesse caso, uma empresa especializada é item obrigatório.



VINIL

O que diferencia a piscina de vinil da piscina de concreto é que a primeira não precisará de revestimento e nem da etapa de impermeabilização, já que a manta de PVC com espessura de 6 a 8 mm se ocupa das duas funções, por um produto impermeabilizante e de acabamento.

 Foto: Sodramar

A construção é bem mais rápida e barata do que a de uma piscina de concreto revestida com outros materiais, por exemplo.

A piscina de vinil é fácil de limpar, pois por ser uma manta contínua dispensa o uso de rejuntes, espaços onde geralmente se acumulam sujeira e fungos nas piscinas de cerâmicas ou pastilhas.

Foto: Casa Jardim Piscinas

Ela também permite a construção de piscina personalizada em diferentes formas, tamanhos e no mercado há diversas opções de padrões e cores, e também há possibilidade de imprimir logos, marcas ou desenhos exclusivos.

A piscina de vinil requer de alguns cuidados especiais já que este revestimento é mais sensível do que os outros revestimentos usuais das piscinas de alvenaria.

A instalação do vinil necessita de mão de obra especializada.

Foto: Fiber

A maioria dos problemas ocorre devido ao uso indevido de produtos químicos e objetos pontiagudos dentro da piscina.

Uso excessivo de cloro pode fazer com que a cor se desbote e a superfície do vinil se resseque, por isso é fundamental seguir as instruções do fornecedor.

Caso haja algum tipo de problema, porém, a troca do vinil é rápida e barata.


  Foto: Pinterest

Assim que instalado o vinil da piscina deve ser enchida com rapidez, pois a demora pode ocasionar rugas, recomenda-se o uso de caminhões pipa para que isso não aconteça.

Não é aconselhável esvaziar a piscina sem antes as orientações do fornecedor. O esvaziamento inadequado pode causar danos ao vinil e à estrutura de concreto, como rachaduras e trincas.

O tempo de execução é de 15 a 20 dias.


FIBRA DE VIDRO

A piscina de fibra de vidro chegou ao Brasil nos anos 50. A fibra de vidro é um material altamente resistente a variações de temperatura e pressão, é o mesmo produto utilizado em barcos, hélices de helicópteros e estrutura interna de aviões.

Foto: Pinterest

É um material já impermeabilizado e sua instalação é feita sobre uma base de cimento executada no fundo da área escavada com a forma e as dimensões do modelo de piscina escolhido.

A desvantagem desse tipo de piscina é que os modelos e dimensões são pré- definidos pelo fabricante, há alguns fornecedores que fazem modelo e tamanho sob encomenda, porém o custo e o prazo são maiores.

Foto: Casa & Construção

Além disso, a logística de transporte pode ser um grande complicador, como em terrenos de acesso difícil e coberturas em edifícios de grande altura. Essas questões devem estar claras antes de se adquirir o produto.

O tempo de execução é de 10 a 15 dias.

Independente da escolha do tipo de piscina, a mão de obra especializada é fundamental, tanto do arquiteto como de uma boa empresa para a instalação.

Foto: Fiber Pool

É o trabalho conjunto desses profissionais que fará o projeto que melhor integre a piscina dos seus sonhos com as possibilidades que o terreno oferece e as condições de investimento, levando em consideração o sistema hidráulico, o sistema de filtragem e tratamento a ser utilizado, além de soluções adequadas de toda a área do entorno da piscina, paisagismo e mobiliário.

Na postagem da próxima semana veremos mais sobre revestimentos para piscinas de concreto.
Aguardem!

As postagens abaixo também podem ser interessantes para você:
Iluminação Natural
Pergolado, sombra e água fresca

Fonte:
Casa & Imóveis
Faz Fácil
Help Arquitetos


Continue lendo ►

Parede com tijolos aparentes

Dica da arquiteta | 26.7.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
É muito comum associarmos tijolos aparentes á projetos mais rústicos, mas também se pode usar esse mesmo material em projetos mais sofisticados.

A parede de tijolos aparentes tanto pode ser construída como apenas revestida. No caso de ser construída, é preciso um cálculo estrutural bem feito, afinal ele precisa ter resistência para suportar grandes cargas.

Foto: Achei minha casa

Em caso de reformas, nem sempre dá para remover o reboco e deixar a alvenaria aparente, pois depende de como ela foi construída e se a aparência dela não está comprometida a ponto de não poder deixá-la aparente.

Mas se revestir já atende a sua vontade de ter uma parede de tijolinhos, há no mercado materiais que ao serem instaladas ficam com a aparência de uma autêntica parede de tijolos aparentes.

Foto: Poligres

O revestimento tijolinho é feito de argila como os tijolos para construção da parede, a diferença é que são peças com uma espessura mais fina própria para revestimento. 

O processo de fabricação se dá através da combinação de argilas com outros materiais cerâmicos tecnicamente selecionados, a queima é feita em altas temperaturas permitindo a produção de peças para revestimento com grande resistência e de alta qualidade. Eles possuem nuances de cores e relevos variados em cada peça o que valoriza o acabamento.



Podem ser aplicados em fachadas externas e paredes internas e em ambientes sujeitos à umidade, como cozinhas e banheiros, para isso é preciso fazer impermeabilização á base de silicone na superfície após o assentamento.

Não é preciso mão-de-obra especializada. O assentamento é rápido, feito com argamassa colante, segue o mesmo processo de aplicação de um revestimento cerâmico. As peças também permitem cortes, inclusive na diagonal, para dar um acabamento perfeito às quinas e com juntas secas.

Foto: Mulher Uol
Casa Cor Rio 2013 - Rio de Janeiro
Arquitetura: Ketlein Amorim


Os tijolinhos são peças que aderem perfeitamente às paredes á paredes de drywall, no caso das peças de argila utiliza-se argamassa colante específica para esse fim.

Em apenas 6 horas após a aplicação uma parede de 19,0m² estará pronta e o resultado é uma parede natural e bonita mesmo quando vista de perto.

Foto: Haus Decoração

Com 1,4cm de espessura média, o produto é leve, fácil de transportar, armazenar e aplicar.

O preço de um revestimento de tijolinhos vai depender de cada fabricante e da forma que é vendido, alguns são vendidos em caixa, em metro quadrado e outros por peças.

Seguem abaixo outras postagens que podem ser interessantes pra você:
Piso cimenticio: Durável, resistente e versátil
Aço Corten na Arquitetura
Ardósia: Durabilidade, versatilidade e preço baixo

Fonte:
Brick Studio
Design Forum
Casa & Jardim
Continue lendo ►

Livro: Arquitetura sob o olhar do usuário

Elyzia Rodrigues | 19.7.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
O livro "Arquitetura sob o olhar do usuário", escrito pelos professores da Faculdade de Arquitetura da Universidade Tecnológica de Delft (Holanda), Theo J. M. van der Voordt e Herman B. R. van Wegen, esclarece a importância da Arquitetura centrada no usuário, sob uma perspectiva histórica, dos mais diferentes tipos de edifícios, como prédios empresarias, hospitais e moradias, entre outros.

Permite a arquitetos, docentes, pesquisadores e estudantes o aprendizado de uma Arquitetura voltada às necessidades do ser humano, sem se distanciar do olhar estético.
A vasta experiência dos autores aliada a referências bibliográficas pertinentes e atualizada esclarece ao leitor não só o conhecimento teórico, mas também os exemplos práticos.
Um dos objetivos do livro é mostrar como o conceito de qualidade funcional pode tornar-se mensurável. Após uma breve introdução do desempenho da edificação, sua qualidade funcional e arquitetônica, o livro traça um histórico das várias escolas arquitetônicas, com exemplos práticos brasileiros e internacionais.
A partir de reflexões sobre a Arquitetura contemporânea, os autores apresentam a relevância do programa de necessidades como etapa pré-projeto no processo de ambientes construídos, essencial na condução das etapas posteriores.

O livro explica o passo a passo para desenvolver o programa de necessidades e descreve metodologicamente as alternativas para a realização dos projetos.

Theo J. M. van der Voordt e Herman B. R. van Wegen avaliam a pós-ocupação, destacando exemplos e o resultado nos ambientes em uso, conferidos permanentemente por especialistas e pelos usuários, completando o ciclo de vida útil dos espaços e servindo de exemplo para futuros empreendimentos.
O capítulo final descreve uma lista com as escalas de avaliação e outros métodos e instrumentos que permite aliar design, qualidade funcional, valor e bem-estar do início ao final do projeto arquitetônico.

Continue lendo ►

Telhados verdes são sustentáveis?

Elyzia Rodrigues | 12.7.16 | | | | | | 2 Comentários
O telhado verde é, talvez apenas abaixo das placas fotovoltaicas, o detalhe construtivo mais comentado no mundo da sustentabilidade.

No entanto muitas vezes o cidadão comum encontra uma certa dificuldade quando quer apenas conhecer a viabilidade dessa solução para sua casa ou edifício, e provavelmente não irá recebê-la de forma totalmente imparcial de um vendedor.

 Foto: Obvius Mag
Telhado Verde - City Hall - Chicago - EUA

O termo ‘Telhado Verde’ é comumente utilizado para descrever telhados cobertos com vegetação. No entanto o sistema é muito mais amplo: coberturas com painéis solares, brancas com alta emissividade e refletividade ou até mesmo telhados com telhas shingle de grande duração podem ser considerados telhados verdes, ou sustentáveis.
O termo correto seria ‘Telhado Verde com Vegetação’, mas se o termo é amplamente utilizado em todo o lugar, nós é que não iremos mudar, então chamaremos aqui também de Telhado Verde.

VEJA AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS TELHADOS VERDES

O telhado verde possui uma variação de preço entre R$100,00 a R$150,00/m² dependendo do tipo e região, e tem certamente um custo de implantação inicial maior (geralmente o dobro) do que telhados convencionais ou lajes impermeabilizadas.

 Foto: SustenArqui
Millenuim Park - Chicago - EUA

Olhando superficialmente não parece vantajoso, certo? A vantagem surge se considerarmos o ciclo de vida completo da estratégia, pois sua duração é em média o dobro do tempo da opção convencional.

Dificilmente uma solução comum irá durar mais de 20 anos sem manutenção, já o telhado verde, apesar de exigir cuidados específicos e periódicos, pode durar o dobro, além de proteger a laje concentrando e suportando as diferenças de temperatura e insolação.

TIPOS DE TELHADOS VERDES:
  • Intensivo (ou semi): é mais espesso e suporta uma maior variedade de plantas. No entanto é mais pesada e exige maior manutenção. A espessura mínima de instalação é de 20cm. Exige um cuidado especial na consideração dos cálculos estruturais, que considera nos edifícios em concreto armado no caso do Brasil uma carga média de 300Kg/m².

Foto: Greenroorguide


  • Extensivo: mais fino e leve, com no máximo 8,0cm de espessura e coberta tipicamente com forração. É mais viável financeiramente, no entanto não suporta tanta carga de águas pluviais.


Foto: Greenroorguide



INCENTIVOS POLÍTICOS PARA TELHADOS VERDES
Existem diversas leis e decretos sendo aprovadas nas câmaras sugerindo a obrigatoriedade dos telhados verdes com vegetação. Comprova-se aqui uma falta de comprometimento real, tanto em se entender o termo de forma mais ampla com suas diversas variedades (como os blue roofs e outros descritos acima) quanto não diferenciar e criar um incentivo maior justamente para grandes centros urbanos onde existe uma grande necessidade da solução.

Também não sugere normas essenciais, como a ANSI Fire Design Standard, que delimita áreas máximas para evitar a propagação do fogo em grandes centros urbanos, nem a ANSI Wind Design Standard, que sugere usos de espécies e a não utilização para áreas sujeitas a ventos extremos.

 Foto: SustenArqui
David Shankbone - Rockfeller Center’s Rooftop Gardens

Continue lendo ►

Piso cimentício - durável, resistente, versátil

Elyzia Rodrigues | 5.7.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Atualmente existe no mercado uma infinidade de alternativas de revestimentos que podemos usar em nossos projetos, o que nos possibilita escolher o melhor deles quando consideramos itens como durabilidade, resistência e preço, além da estética.

Foto: Lugar Certo  

Já falamos em outras postagens do piso de cimento queimado, da granilite e também do piso epóxi autonivelante, hoje é a vez do piso cimentício.

O piso cimentício é feito á base de concreto ou concreto branco estrutural, dependendo do fabricante, e outro tipo matéria-prima, muitas vezes reciclada, produzidos de forma artesanal. 
O consumo de energia para produzi-lo é baixo, sua cura é feita sem utilização de fornos, o que faz dele um produto mais sustentável.


Continue lendo ►

Curso de Aprovação de Projeto no Corpo de Bombeiros

Elyzia Rodrigues | 4.7.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
No dia 02 de Julho comemora-se o dia do Bombeiro Brasileiro, e nesse mesmo dia se inicia a Semana de Prevenção contra Incêndios, então aproveitando essas datas a dica de hoje é sobre esse assunto!


Nós arquitetos temos habilitação para assinarmos um Projeto de Prevenção e Combate à Incêndio e Pânico... Nossa formação em Arquitetura nos permite... Mas realmente somos capacitados? Sabemos fazer? Uma coisa é uma coisa... Outra coisa é outra coisa... Não é mesmo?

Para fazermos um projeto de edificação, por exemplo, previamente deveríamos entender as interferências de uma rota de fuga... De exigências da caixa de escada... Porta corta-fogo... Escada enclausurada... Distâncias de segurança entre vão de iluminação e ventilação... Sentido de abertura de portas sobre circulações/rota de fuga/acessibilidade... Um projeto arquitetônico que não prevê as interferências possíveis para adequação ao Projeto de Prevenção e Combate à Incêndio e Pânico pode inviabilizar o empreendimento... E a falta de entendimento não pega muito bem com nossos clientes... E nosso lado profissional ficará abalado... Sem falar na responsabilidade profissional...


Continue lendo ►