Dica da Arquiteta

Dica da Arquiteta

Churrasqueiras - Como fazer a escolha certa

Elyzia Rodrigues | 22.5.18 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Temperatura mais baixa é um convite para ficar mais perto das pessoas que gostamos, e nada melhor que preparar um churrasco. Alimento, calor e amizade em volta de uma churrasqueira têm o seu lugar.

Foto: Original Móveis

Continue lendo ►

Rodapés - Para proteger e decorar

Elyzia Rodrigues | 8.5.18 | | | | | | 2 Comentários
Algumas pessoas não sabem do que se trata, outras não o percebem no ambiente, mas isso não diminui a sua importância.

Foto: Fatto Arquitetura

O rodapé é um complemento necessário e fundamental para dar acabamento entre o piso e a parede, é o elemento linear que tem como função encobrir as diferenças de nivelamento entre eles.  Ele protege a parede do desgaste, além de funcionar como um importante elemento decorativo.

Podemos encontrar no mercado rodapés de diferentes alturas e materiais, como cada ambiente possui uma particularidade de revestimentos e dimensões eles devem ser escolhidos considerando as características do espaço ou projeto.

Os rodapés podem tanto acompanhar o mesmo padrão do piso, como terem uma conversa direta com as guarnições das esquadrias, portas e janelas, oi ainda com outros elementos.

Podemos encontrar rodapés de madeira, granito, mármore, gesso, poliestireno, laminado de madeira, MDF. Eles podem ser lisos, com friso, com borda boleada ou borda reta.

Foto: Decors

A altura dos rodapés também é variável, podendo ser encontrado com altura entre 7,0cm (medida mais comum) até 20,0cm ou na altura que você desejar.

Rodapés de madeira são bastante duráveis, desde que não sejam aplicados em áreas molhadas.

Foto: Pinterest

Rodapés de MDF são bastante comuns, seu custo é menor, então sua obra fica mais acessível. Eles podem ser aplicados em diversos tipos de pisos ou paredes. O material não é resistente á umidade, mofam facilmente e perdem a durabilidade. O rodapé de MDF pode ser pintado ou texturizado.

Os rodapés em mármore e granito são perfeitos para áreas molhadas, como cozinhas, banheiros e saunas.

Foto: Dicas a mais

O rodapé de poliestireno é um material bastante versátil, por ser à prova d’água é utilizado tanto em áreas secas como em molhadas, não corre risco de pegar pragas como cupim nem mofo.

É um rodapé que pode ser confeccionado em diversos tamanhos e cores, é um rodapé feito para ser destaque na decoração, com cores bem distintas da parede e tamanhos significativos.

Foto: Zap Imóveis

Alguns revestimentos para pisos como cerâmicas, porcelanatos e laminados possuem rodapés com mesmo padrão de acabamentos. No caso de cerâmicas e porcelanatos, evita-se a necessidade de cortar o rodapé a partir da peça, criando assim um acabamento melhor e menos trabalho para assentar.

Atenção para uma regrinha básica: ambientes com pé-direito alto pedem rodapés mais altos, o mesmo valendo para pé-direito muito baixo. O importante é não inverter o uso.

Foto: Dicas da Arquitetura


O rodapé pode ser aplicado de três formas diferentes:

A forma mais comum é a colocação do rodapé diretamente sobre a parede, deixando um avanço em relação á ela entre 1,0cm e 2,0cm; embora proteja mais se compararmos ás outras formas de aplicação, o avanço criado deve ser limpo com frequência pois acumula muita poeira.

Foto: Mármores & Granitos

A segunda forma é a embutida nivelada com a parede, a superfície do rodapé fica no mesmo plano da superfície da parede, a desvantagem é que os móveis ficam mais próximos da parede podendo arranhar o acabamento.

Foto: Arte Porcelanato

A terceira forma de aplicação do rodapé é a embutida com recuo ou negativa, feita em muitos casos com um perfil “L” de alumínio entre 2,0cm e 5cm.

A proteção da parede desse tipo de rodapé é menor se comparada á proteção dada pelas outras formas de acabamento, quanto menor a altura do perfil mais próxima á parede fica do piso e mais exposta á impactos e sujeiras.


Foto: Total Ligth

Se fizer realmente questão desse tipo de aplicação, você pode utilizar um perfil de maior altura ou deixar para usá-lo em áreas que não sujem tanto.

Os rodapés podem ser usados tanto internamente como externamente, uma dica importante e escolher rodapés de materiais mais resistentes e duráveis para as áreas de fluxo mais intenso e mais sujeito á intempéries.

 Foto: Decor & Salteado

Já fez uso de algum sistema alternativo de construção? Conta para nós como foi.

Essas postagens podem ser interessantes para você:
Como escolher um ralo perfeito
Revestimento 3D - Quando parede vira um objeto de decoração
Você sabe diferenciar piso, carpete e laminado de madeira

Se quiser ser o primeiro a receber as postagens que a gente publica, cadastre o seu e-mail no botão “Acompanhe”.

Continue lendo ►

O que você precisa saber antes de construir uma sauna - Parte 2

Elyzia Rodrigues | 24.4.18 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Na postagem da semana passa vimos sobre os benefícios que um banho de sauna proporciona para a nossa saúde, sobre a sauna á vapor e porque são mais recomendadas para ser usada no verão ou em locais com temperaturas altas e menor umidade ao longo do ano por suas propriedades hidratantes.

 Foto: Pinterest

Diferente das primeiras, as saunas á seco são as que usam pedras ou outros materiais aquecidos e não liberam vapor.  A temperatura delas atinge até 80 °C e são recomendadas para locais com temperaturas mais baixas e umidade alta ou no inverno.

A sauna seca apareceu há cerca de 9 mil anos, criada por povos nômades que ocuparam a Finlândia na pré-história. A sauna é um símbolo do país e até hoje é o primeiro cômodo que um finlandês ergue quando vai fazer uma casa. Atualmente existem 2,2 milhões de saunas para 5,2 milhões de habitantes. Para os pioneiros finlandeses, a sauna era considerada um lugar sagrado, onde se purificavam o corpo e o espírito.


Foto: Igapó Piscinas

O recinto para a sauna seca é muito parecido com o recinto para sauna a vapor, a altura padrão da cabine é 2,50m, as paredes devem ser rebocadas normalmente e os bancos poderão ser feitos em alvenaria ou em madeira.

A sauna seca pode ser totalmente construído em madeira como se fosse uma cabine, mas também em alvenaria. O isolamento térmico é feito com lã de vidro ou isopor, e depois vem com o revestimento com madeira, o tipo de madeira ideal é o pinho Finlandês, mas também pode ser usado o pinho chileno, cedro, mogno ou cedrinho (Vermelho), sempre madeiras de boa qualidade, macias e previamente secas.

 Foto: Global Tech

É importante lembrar que a madeira deve estar bem lixada para evitar farpas e jamais se deve envernizar ou aplicar qualquer produto para a proteção da madeira.  Para a limpeza do ambiente, use pano úmido em água.

O respiro, orifício de entrada contínua de oxigênio e o suspiro ou a saída de gás carbônico seguem as mesmas orientações da sauna á vapor. O primeiro com dimensões de aproximadamente 10x10cm deve ficar rente ao piso e o suspiro com as mesmas dimensões á 30cm do teto.

Foto: Tecnopool

A instalação de treliça de madeira com regulagem tipo abrir e fechar proporciona o controle da saída de calor do ambiente e oxigena o mesmo.

A sauna deve ser iluminada com no mínimo dois pontos com fiação antichamas de 2,5mm, pode-se usa arandelas de madeira com lâmpadas fluorescentes de 7 watts.


 Foto: Deko Biz

Valendo aqui a mesma observação da sauna á vapor, o interruptor deve ficar do lado de fora do ambiente. E se o gerador de vapor for elétrico prever cabos de energia e disjuntores para ele.

O piso da sauna seca pode ser cimentado comum ou em cerâmica sobre o qual se instala um estrado de madeira.

Instalar um ralo no interior do ambiente de banho para escoamento da água quando o local for lavado.

A porta para sauna seca deve ser de madeira e revestida com lã de vidro

 Foto: Zip7

Não utilize madeira no espaço onde será instalado o equipamento de geração de vapor, pois pode causar um incêndio. Use tijolos refratários nas paredes em volta do equipamento e no piso. Se o aparelho for a gás ele possuirá chaminé, assim o refratário das paredes deverá acompanhar toda sua extensão. A chaminé deve sair de preferência pela parede, formando um ângulo de 45º.

Em sauna seca com gerador de vapor elétrico utilize cerca de proteção ao redor do equipamento, com distância mínima de 10 cm.

Foto: Toto Design

Continue lendo ►

O que você precisa saber antes de construir uma sauna - Parte 1

Elyzia Rodrigues | 17.4.18 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Um banho de sauna proporciona muitos benefícios para a nossa saúde, entre os benefícios estão limpeza da pele, aumento da circulação sanguínea, abertura de vias aéreas e nasais, alívio de dores musculares e reumáticas, fortalecimento do sistema imunológico, além de agir como um processo de relaxamento em condições de tensão e estresse.
 
 Foto: Pinterest
 
A sudorese produzida pelo corpo abre os poros, elimina toxinas e impurezas do corpo, aumenta a circulação e é ideal para estimular os vasos que ajudam no processo de cura das infecções.
 
Não é á toa que todos esses benefícios estimulem ás pessoas a quererem ter uma sauna em casa.
 
Está pensando em aproveitar o período de estiagem de chuvas para construir e reformar?
Vai construir a tão esperada sauna para curtir os próximos dias frios e cuidar da sua saúde?

Foto:Rio Imóveis

A sauna é um ambiente que necessita que determinados itens sejam respeitados para não comprometer a sua utilização.
 
Se você pretende construir ou para melhor entender como é feita leia até o final.
 
São dois os tipos de sauna: sauna a vapor e sauna à seco.
 
Esta semana falaremos sobre saunas á vapor, também chamadas de banho turco são as úmidas, sua temperatura chega até 60°C. São mais recomendadas para ser usada no verão ou em locais com temperaturas altas e menor umidade ao longo do ano por suas propriedades hidratantes.
 
Foto: Viva Decora
Arquitetura: Leonardo Muller
 
Para começar é preciso ter em mente quantas pessoas vão utilizar a sauna, pois isso vai interferir nas dimensões e o sistema energético da mesma. Uma pessoa sentada ocupa uma área aproximada de 0,80m², logo uma sauna de 1,5 x 2,0m pode ser suficiente para 4 pessoas usando-a simultaneamente.
 
A sauna pode ser abastecida por diferentes tipos de energia, a lenha, a gás ou elétrica.
 
A sauna a lenha é indicada para residências, chácaras, sítios e fazendas. Para saunas públicas, clubes e centros esportivos o ideal é a sauna a gás, pois são mais econômicas. Em hotéis e motéis, pelo uso ser individual, o ideal que seja a elétrica.
 
Se você já tomou um banho de sauna sabe que os bancos são construídos como em uma arquibancada, mas pode também fazer uma sauna de um banco apenas.  Mas lembre-se que no banco mais alto a temperatura é maior, e no banco mais baixo a temperatura será menor.
 
Foto: Pinterest
 
Nas saunas a vapor o teto deve ter uma inclinação igual a 10% do prolongamento, essa inclinação é fundamental, pois é ela que direciona as gotículas de vapor que se condensam no teto para a direção oposta aos bancos. O teto deve ser sempre liso, sem rejuntes de azulejos, pois as gotículas se acumulam nele mesmo com a inclinação certa.
 
As paredes da sauna a vapor podem ser revestidas com epoxi, azulejos, mármore ou até mesmo tinta látex, a escolha do revestimento vai levar em consideração outros aspectos como custo. Nas saunas á vapor é importante que se faça um isolamento térmoacústico com vermiculita.
 
Para saunas o piso deve ser sempre antiderrapante. Pisos grelhados emborrachados ou amadeirados, pedras naturais. É importante a instalação de um ralo para escoamento da água. Um ponto de água interno pode ser interessante para proporcionar conforto do usuário.
 
 
 
 
A sauna a vapor deve ter uma entrada contínua de oxigênio e também uma saída para o dióxido de carbono, respectivamente suspiro e respiro de ar. O primeiro deve ser instalado á 30cm do teto e o respiro rente  ao piso, para controle de oxigênio e temperatura dentro do ambiente, eles devem preferencialmente ser instalados em lados opostos.
 
A entrada de vapor da sauna deve ser feita num canto neutro, ou seja, num ponto em que o vapor não entre em contato direto com o usuário, com altura entre 20cm e 30cm.
 
A iluminação do ambiente deve ser feito por luminárias que suportem bem a altas temperaturas e umidade, o interruptor é instalado externamente.
 
Esse tipo de sauna pode ser feita em apartamentos na área do box dos banheiros  ou outros cantos fechados com vidro instalando a máquina do lado de fora da área aquecida.
 
 Foto: Homedit
 
 
É muito importante que a porta deve ser impermeável, térmica, possuir visor transparente sempre abrir para fora do ambiente.
 
Na próxima semana veremos sobre a sauna á seco.
Aguardem!
 
Há outras postagens que podem ser interessantes:
Como escolher móveis para piscina
Piso cimenticio - Durável e resistente
 
Se quiser ser o primeiro a receber as postagens que a gente publica, cadastre o seu e-mail no botão “Acompanhe”.
 
Continue lendo ►

100 anos de Athos Bulcão

Elyzia Rodrigues | 10.4.18 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
CCBB Belo Horizonte​ recebe mostra que celebra um século de nascimento do artista Athos Bulcão


Com a intenção de propor um profundo mapeamento e imersão na diversidade dos trabalhos e técnicas do artista, a mostra oferece ao espectador a possibilidade de conhecer o processo de produção do artista, com a exibição de mais de 300 trabalhos, alguns dos quais inéditos, realizados entre os anos 1940 e 2005.

Obras de artistas mais jovens que direta ou indiretamente foram influenciados por Athos também serão apresentadas.

Combinando o viés cronológico com uma aproximação temática, "100 anos de Athos Bulcão" aposta nos vínculos, mais ou menos evidentes, entre diferentes momentos da trajetória do artista e se estrutura a partir de núcleos de obras e estudos que se interpenetram e deixam evidente a diversidade conceitual e material que permeia toda o seu trabalho.

 Foto: Igrejinha da Pampulha - BH

"100 anos de Athos Bulcão" contextualiza a trajetória do artista, a conexão entre suas obras e um adensamento em sua poética. Da sua inspiração inicial pela azulejaria portuguesa, do aprendizado sobre utilização das cores, quando foi assistente de Portinari, até as duradouras e geniais parcerias com Niemeyer e João Filgueiras Lima, o Lelé.

  Foto: Aeroporto JK - Brasília

Além de divulgar e preservar seu legado, é sempre uma alegria homenagear o talento desse homem discreto, preocupado especialmente em harmonizar e compor o trabalho do arquiteto na integração de sua arte, mas que também se engrandece quando envolvido em telas, tintas e pincéis, produzindo um dos mais destacados repertórios da arte brasileira.

 Foto: Igrejinha Nossa Senhora de Fátima - Brasília


100 anos de Athos Bulcão
De 11 de abril a 25 de junho
Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte
Praça da Liberdade, 450 – Funcionários, Belo Horizonte/MG
De quarta a segunda, das 9h às 21h
Entrada franca | Livre para todas as idades


Se quiser ser o primeiro a receber as postagens que a gente publica, cadastre o seu e-mail no botão “Acompanhe”.

Há outra postagem que pode ser interessante: 
Por que a beleza importa
Continue lendo ►

Dando amplitude á espaços pequenos com blocos de vidro

Elyzia Rodrigues | 6.4.18 | | | | Seja o 1º a comentar!!
Morar ou trabalhar em espaços pequenos é uma realidade para um número cada vez maior de pessoas. Se você é uma delas, não se desespere; apesar da falta de espaço ser algo sério, trazendo uma série de problemas e desafios para aqueles que precisam conviver com ela, basta que você tenha as ferramentas corretas à mão para conseguir superá-las, como, por exemplo, os blocos de vidro.




Duvida? Então continue lendo o texto e veja porque os blocos de vidro são capazes de trazer maior amplitude até mesmo para o menor dos espaços.

POR QUE UTILIZAR BLOCOS DE VIDRO EM ESPAÇOS PEQUENOS?

Graças a sua translucidez, os blocos de vidro são excelentes formas de construir ou decorar um ambiente sem deixá-lo claustrofóbico, já que permitem a passagem constante de luz e não bloqueiam a visão. Justamente por isso, os blocos de vidro tem sido utilizados com cada vez mais frequência no lugar de paredes maciças, para se criar divisórias elegantes e delicadas, que deixam o ambiente com um ar mais leve.

QUAIS VANTAGENS ELE TRÁS À AMBIENTES PEQUENOS?

Os blocos de vidro são elementos arquitetônicos fantásticos, que são capazes de trazer uma quantidade enorme de benefícios para aqueles que resolvem investir neles.
Para quem vive em ambientes pequenos, alguns dos mais relevantes são:

SENSAÇÃO DE AMPLITUDE: conforme mencionado, o vidro tem sido utilizado com cada vez mais frequência para dar amplitude a diferentes tipos de locais, por conta de sua translucidez. Quando não enxergamos barreiras sólidas em um local, como paredes, por exemplo, nosso cérebro automaticamente assume que o ambiente é maior do que ele realmente é. Se você precisa viver e trabalhar em um ambiente pequeno e não quer sentir-se constantemente enclausurado, aposte na construção de paredes e divisórias feitas de bloco de vidro.

ENTRADA DE LUZ NATURAL: um cômodo pequeno que não recebe luz natural em abundância pode facilmente se transformar em uma cela. Por esse motivo, os blocos de vidro são altamente recomendados para esse tipo de espaço, já que possibilitam uma maior incidência de luz natural no local, ajudando o mesmo a parecer maior e a torná-lo mais agradável especialmente em cômodos que tem poucas janelas e precisam receber luz de forma indireta.

CONTROLE DE RUÍDO E TEMPERATURA: os blocos de vidro são excelentes isolantes térmicos e acústicos. Por conta disso, são ótimos para espaços pequenos, que costumam esquentar com facilidade e tem problemas de vazamento de ruído.

ECONOMIA DE ENERGIA: se existe maior incidência de luz solar, haverá, naturalmente, menor necessidade de luz elétrica. Ao investir em blocos de vidro, portanto, espere uma redução significativa em sua conta de luz.

ONDE POSSO UTILIZAR OS BLOCOS DE VIDRO?

Uma das principais vantagens dos blocos de vidro é o fato de que eles podem ser utilizados em quase  todos os tipos de ambientes. Seja em uma casa ou em um escritório, no quintal ou em uma sala, os blocos de vidro dificilmente não irão se adequar ao ambiente, já que são elementos belos, versáteis e atemporais, que nunca perdem o charme ou saem de moda.
Se você quer dar maior amplitude à um ambiente pequeno, seja ele de qual tipo for, aposte nos blocos de vidro sem medo de errar.


Continue lendo ►

Construção com blocos de concreto

Elyzia Rodrigues | 3.4.18 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Muitas vezes falamos aqui da importância de se contratar um arquiteto ou arquiteta para a construção da sua casa, a razão dessa insistência é que as variedades de soluções construtivas existentes no mercado vão exigir uma avaliação técnica mais refinada.

Foto: Archdaily
Arquitetura: Terra e Tuma Arquitetos - Casa Mipibu
Nelson Kohn

Uma avaliação que saiba pesar as vantagens e desvantagens de cada solução e a que melhor se adequa a sua capacidade de investimento, a seu gosto estético entre outros aspectos.

O bloco de concreto é um material pré-fabricado utilizado, sobretudo, para a construção de paredes e muros. Como os tijolos cerâmicos comuns, os blocos funcionam em conjunto quando empilhados e quando unidos com argamassa. Para realizar esta união, os blocos têm um interior oco que permite a passagem de barras de aço e enchimento de argamassa.

Foto: Mapa da Obra

Há uma grande variedade de dimensões e texturas, desde as superfícies lisas mais tradicionais até os acabamentos ondulados ou rugosos. Existem unidades especiais para cantos ou blocos próprios para receberem armaduras longitudinais.

Suas dimensões variam entre 19x19x39cm, para uso estrutural e outras versões mais finas para partições, com dimensões próximas aproximadamente 19x9x39cm.

Mas como incorporá-los de forma criativa em nossos projetos?


Foto: Archdaily
Arquitetura: Terra e Tuma Arquitetos - Casa Mipibu
Nelson Kohn

Embora os primeiros blocos - massificados no início de 1900 - fossem fabricados à mão, hoje em dia é um material produzido de forma automatizada, gerando milhares de blocos por hora.
Foto: Construção Mercado

Por não exigir queima cada unidade pode ser fabricada no local por pedreiros não qualificados, proporcionando uma vantagem que pode ser efetiva em certos casos.

Em relação ao seu comportamento térmico, uma parede de bloco pode funcionar corretamente se as medidas adequadas forem tomadas. Por exemplo, é essencial garantir a colocação correta da argamassa em todas as juntas para evitar pontes térmicas.
Foto: Archdaily
Arquitetura: Terra e Tuma Arquitetos Associados - Casa Studio Lapa
Pedro Kok

Além disso, é possível incorporar isolantes como o EPS, ou a lã de vidro e o polietileno como barreira de vapor no interior dos blocos, e adicionar uma camada isolante, como um reboco exterior.

Em termos gerais, a sua fabricação consiste em 4 processos:

Mistura: após a pesagem as quantidades apropriadas de areia, brita e cimento seco são incorporadas para serem mescladas automaticamente, adicionando água no final do processo.

Moldagem: em uma máquina especializada, a mistura é compactada em moldes que definem a forma e o tamanho de suas cavidades interiores e sua textura exterior. Este processo é geralmente auxiliado por vibrações mecânicas.

Cura: os blocos são inseridos em fornos a vapor (baixa ou alta pressão) para endurecer.

Empilhamento: os blocos secos são empilhados em cubos para serem armazenados. 



 O concreto comumente usado para fazer este tipo de blocos é uma mistura de cimento Portland com água, areia e brita que produz um bloco cinza claro com uma textura de superfície fina e alta resistência à compressão.

Assim, os blocos têm uma boa capacidade mecânica, incombustibilidade e isolamento acústico.

O bloco de concreto básico foi alterado para fornecer soluções mais completas, como a impermeabilização. Alguns produtos atuais incluem aditivos adicionados à sua mistura, aumentando a tensão superficial do bloco e dificultando a passagem da água. Há também blocos de concreto com diferentes tipos de bordas, para repelir a água da sua superfície. 

Foto: Archdaily
Arquitetura: Agustín Lozada - Casas Catalinas
Gonzalo Viramonte
 
Apesar de ser um material amplamente utilizado no mundo, suas possibilidades de projetos têm sido pouco exploradas. Os blocos de concreto são constantemente associados à autoconstrução e a habitações de baixo custo, situações que oferecem poucos espaços para explorar além do funcional.

Através de um trabalho impecável, a obra de alguns arquitetos, como Terra e Tuma, Natura Futura, Agustín Lozada ou Takao Shiotsuka Atelier, nos encoraja a pensar em novas formas de usar esse material.

Continue lendo ►

Teca - Beleza, resistência e durabilidade

Elyzia Rodrigues | 27.3.18 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
A Tectona grandis, conhecida comercialmente como Teca ou Teak, é uma árvore de grande porte, nativa das florestas tropicais principalmente na Índia, Burma, Tailândia, Laos, Camboja, Vietnã e Java.

Ela tem sido muito explorada por diversos motivos e um deles é a sua resistência natural e alta adaptabilidade.

 Foto: Habitíssimo
Arquitetura: Irene Torre


Além da sua beleza a madeira Teca possui uma composição e estrutura que favorecem o seu emprego em diversas finalidades: construção naval, laminação e compensados, lenha e carvão vegetal; as duas últimas são específicas para as áreas de ocorrência natural.

Foto: MF Rural

A Teca tem a grande vantagem de conter em seu cerne a tectoquinona, uma substância que atua como um pesticida natural. Esse pesticida faz com que ela seja rejeitada pelos microrganismos que atacam a maioria das madeiras, como cupins, formigas e os fungos que causam a podridão.

Outra substância que constitui a Teca é o caucho uma espécie de látex que atua como um impermeabilizante que mantêm equilibrada a umidade da madeira impedindo que ela absorva ou perca muita água. O caucho também ajuda a lubrificar a superfície da madeira e ainda reduz a abrasão sobre a mesma, garantindo a conservação da peça fabricada.

Foto: Leo Madeiras

A sílica também é mais um dos componentes presentes na madeira Teca e garante dureza e resistência tornando-a mais forte, e logo mais durável e ideal para ser utilizada em aplicações que exigem força da madeira.


Embora muito forte e resistente, a Teca é leve, sua densidade média é 0,65g/cm³, apresenta boa resistência a peso, tração e flexão e por isso pode ser a matéria prima de móveis e compor peças resistentes e com pouco peso, o que facilita o seu manuseio.

 Foto: Pinterest

A madeira teca praticamente não empena e se contrai muito pouco durante a secagem. É resistente aos efeitos agressivos da água do mar e do sol e não divide, racha ou deforma.

A Teca é a madeira mais indicada para confecção de decks de piscina, pois além de resistente ás intempéries, quando em uso desenvolve uma propriedade antiderrapante mesmo quando molhado devido á sílica de sua composição permitindo uma maior tração dos pés á madeira durante a caminhada.


Foto: Piso Térmico


Seu alto teor de óleo significa que ele pode manter seu brilho por muitos anos e sua força não diminui mesmo após anos de exposição.

Mesas, cadeiras, móveis com gavetas, utensílios domésticos, painéis para TV, portas de entrada, piso, além de cubas para lavabos ou banheiros e bancada esculpidas essas são algumas das muitas possibilidades que a Teca pode ser usada em nossas casas.

Foto: Parque TSP

A sua manutenção e limpeza é simples. Nas limpezas do diárias utilize apenas sabão neutro, não use alvejantes e outros produtos abrasivos, pois corre o risco de manchar a madeira. Ao utilizar vassouras ou escova para limpeza faça movimentos orbitais para não danificar os veios da madeira.

Nas limpezas pesadas, use produtos equivalentes ao Sika Teak Cleaner e Sika Teak Brightner, essa limpeza só será necessária se ocorrerem manchas e acúmulos de mofos que podem ocorrer na madeira Teca.

Continue lendo ►

Isolamento acústico com blocos de vidro

Elyzia Rodrigues | 22.3.18 | | | | Seja o 1º a comentar!!
Se você vive em um apartamento, em uma casa geminada ou mesmo em um local que possua paredes finais, sabe bem que muitas vezes é difícil não incomodar aqueles que estão por perto com o som de sua TV, rádio ou instrumento musical.


Por esse motivo, é absolutamente natural que um número cada vez maior de pessoas esteja se interessando por isolamento acústico, inclusive a ponto de tentar fazer com elementos que não são tão óbvios assim, como os blocos de vidro

O QUE É O ISOLAMENTO ACÚSTICO?

Dá-se o nome de isolamento acústico (ou sonoro) ao processo de criação e instalação de barreiras e obstáculos que não permitam a propagação do som. A instalação de tais elementos é feita com o intuito de dificultar a viagem das ondas sonoras, não permitindo que as mesmas alcancem outros ambientes - daí a origem do termo “isolamento”.

QUAIS MATERIAIS PODEM SER UTILIZADOS PARA ESSA FINALIDADE?

Diversos tipos de materiais costumam ser utilizados no processo de isolamento acústico, tais como vidro, madeira, tijolo, borracha e até cortiça. O segredo de um bom isolamento não está necessariamente no material, mas sim na forma como o mesmo é utilizado; não basta simplesmente colocar borracha em um local e esperar um bom isolamento acústico.

É preciso utilizar uma combinação de técnicas e materiais, como por exemplo, paredes de vidro duplas ou portas de madeira com placas de aço, para criar obstáculos, que bloqueiem a passagem do som.

POR QUE OS BLOCOS DE VIDRO SÃO BONS ISOLANTES?
O bloco de vidro é um elemento arquitetônico reúne as principais características de um bom isolante acústico, como por exemplo:



SÃO CONSTRUÍDOS COM PAREDES DUPLAS: Os blocos de vidro são excelentes para criar obstáculos complexos, que dificultam a passagem do som, já que possuem camadas grossas de vidro em duas faces de sua estrutura.

POSSUEM ESPAÇO ENTRE AS PAREDES: Outra característica que torna os blocos de vidro excelentes isolantes acústicos é o fato de que um vão separa uma face de vidro da outra; para se ter um bom isolamento, é imprescindível que exista algo separando cada uma das barreiras, já que se elas estivessem em contato direto o som provocaria vibrações indesejadas.

OFERECEM BOA VEDAÇÃO: Os blocos de vidro costumam ser muito bem vedados, de forma a evitar que infiltrações de água ocorram. A vedação, no entanto, também ajuda a impedir a passagem de som; ao se fazer o isolamento acústico de um ambiente, é importante tomar cuidado para que não exista nenhuma fresta por meio da qual o som possa escapar.

COMBINAM MATERIAIS: Conforme mencionado, para se ter um bom isolamento acústico é recomendável que se combine dois tipos de materiais. Para se fixar os blocos de vidro, é preciso utilizar cimento ou algum outro tipo de cola ou argamassa, o que contribui consideravelmente para a qualidade do isolamento.

PRECISA DE AUXÍLIO? CONTATE A PRISMATIC!
Você gostou do que descobriu a respeito dos blocos de vidro e está pensando em fazer o isolamento acústico de seu espaço com os mesmos?



Não deixe de entrar em contato com a Prismatic, uma empresa que tem mais de 50 anos de experiência nesse mercado, possuindo certificado ISO 9001:2008 e testando todos os seus produtos em laboratório, sob diversas condições.


PUBLIEDITORIAL
Continue lendo ►