Dica da Arquiteta

Dica da Arquiteta

Ar-condicionado portátil - Geizeer

Elyzia Rodrigues | 20.2.18 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Em função do seu alto consumo de energia elétrica, nem sempre é possível usar diariamente o aparelho de ar-condicionado.

 Foto: Geizeer

E também não é muito saudável ficar exposto a ele constantemente, pois o uso excessivo pode causar desconfortos físicos, como dor de cabeça, pescoço rígido, dor nas costas e problemas respiratórios. 
Continue lendo ►

Top Ten de postagens de 2017!

Elyzia Rodrigues | 2.1.18 | | | | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Listamos as 10 postagens mais curtidas, comentadas e compartilhadas!
Então preste atenção á elas:


10 - Energia elétrica com Sistema de energia solar ou sistema fotovoltaico

O sistema de energia solar ou sistema fotovoltaico é um sistema capaz de gerar energia elétrica através da radiação solar. Ele pode ser isolado ou conectados à rede.  
O primeiro é utilizado em locais remotos ou onde o custo de conectar o imóvel á rede elétrica é elevado. O sistema conectado é conectado à rede, substitui ou complementa a energia elétrica convencional disponível na rede elétrica. 

9 - Tinta Térmica - Um conforto a mais para sua casa

A tinta térmica reflete mais de 90% dos raios solares incidentes na superfície. Com isso, se considerarmos um ambiente bem ventilado sua temperatura pode variar em até 35%, diminuindo a temperatura interna reduz-se o uso de ar condicionado e em alguns casos pode-se dispensá-lo.

8 - Tapetes - Pra deitar, rolar e decorar!

Independente do tipo de piso que queira cobrir há tapetes com uma infinidade de materiais, estampas, cores, texturas, formas e tamanhos.
Os tapetes servem tanto para delimitar diferentes ambientes como melhorar o conforto acústico, principalmente os de maior espessura. Corre lá e escolha o seu!

7 - Rodapés - Para proteger e decorar

O rodapé é um complemento necessário e fundamental para dar acabamento entre o piso e a parede, é o elemento linear que tem como função encobrir as diferenças de nivelamento entre eles, proteger a parede do desgaste, além de funcionar como um importante elemento decorativo.

Continue lendo ►

Como escolher a lâmpada ideal para sua casa - Parte II

Elyzia Rodrigues | 26.12.17 | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Como vimos na semana passada as características das lâmpadas podem proporcionar diferentes sensações nos espaços que habitamos.


Foto: Pinterest

Hoje vamos mais detalhadamente cada um dos tipos de lâmpadas e como usá-las.


INCANDESCENTES COMUNS

As lâmpadas incandescentes são muito populares do mercado, elas produzem uma ótima qualidade de luz e possuem baixo custo.

Porém, há algum tempo as lâmpadas de 60/100/150/200W não são mais fabricadas sendo substituídas pelas lâmpadas fluorescentes ou de LED.

A luz é formada dentro do bulbo de vidro onde há um filamento de tungstênio e gás inerte. A corrente elétrica passa pelo filamento e há a liberação de energia e esta se transforma luz e calor. Quanto mais forte a lâmpada (maior o número de watts), mais calor ela emite. 

 Foto: Pinterest

Sua maior desvantagem é possuir baixíssima eficiência, apenas 5% da energia elétrica consumida é transformada em luz, os outros 95% são transformados em calor.

Enquanto nas lâmpadas fluorescentes depende do número de acionamentos, nas lâmpadas incandescentes que determina sua vida útil é o período que ela permanece acesa. Esse valor médio gira entre 750 a 1.000 horas.

Índice de Reprodução de Cor – IRC: 100%.
Temperatura de Cor – TC :  2.700 Kelvin(K), ou seja, é uma lâmpada de coloração amarelada.
Tensão de rede: 110 ou 220V.
Podem ser dimerizadas.

 Foto: Amazon

São muito utilizadas para iluminação geral e residencial em vários tipos de luminárias: plafons, arandelas, abajures, luminárias de piso.

Os tipos mais comuns são:

Incandescente transparente que apresenta ótima qualidade de luz.
Incandescente branca leitosa que proporciona maior conforto visual por seu acabamento fosco.
Incandescentes espelhadas que direcionam a luz e são ideais para uso em spots.
Incandescente bolinha que são normalmente utilizadas em geladeiras e fogões são ideais para abajur. e podemos encontrá-la colorida.



Podemos encontrar no mercado lâmpadas incandescente com filamento de carbono, também chamadas de "lâmpada retrô", podemos encontrá-las em diferentes formatos. Porém, elas são energeticamente ineficientes e só devem ser usadas como iluminação decorativa, pois iluminam pouco e geram muito calor. 

 Foto: Bangalô da Tati


HALÓGENAS

Também são consideradas lâmpadas incandescentes, porém dentro do bulbo há um tipo específico de gás em sua constituição, geralmente bromo ou iodo, por isso são chamadas de lâmpadas halógenas.

Continue lendo ►

Como escolher a lâmpada ideal para sua casa - Parte I

Elyzia Rodrigues | 19.12.17 | | | | | | 2 Comentários
Para ajudar você a escolher e levar a lâmpada certa, abordamos aqui alguns dos principais termos que você encontrará no site e nas embalagens.

Foto: Marido de Aluguel Jaraguá
 
Todas as pessoas têm dúvida sobre a forma correta de iluminar cada ambiente da casa. Não existe nenhuma regra ou exigência técnica em relação ao assunto, mas atender com bom senso ás necessidades das pessoas que utilizam o ambiente deve prevalecer.
Primeiramente temos que entender alguns conceitos importantes para conseguirmos escolher a lâmpada ideal para cada situação.

TEMPERATURA DE COR
A temperatura de cor expressa a aparência de cor da luz emitida pela lâmpada.
Isso quer dizer que quanto mais alta a temperatura de cor, mais clara é a tonalidade de cor da luz.
Quando falamos em luz quente ou fria, não estamos nos referindo ao calor físico da lâmpada, e sim a tonalidade de cor que ela irradia ao ambiente.
As lâmpadas quentes têm temperatura de cor entre 2500K a 3100K. São lâmpadas que deixam o ambiente com a tonalidade amarelada e proporcionam a sensação de calor, aconchego e relaxamento.
É ideal para sala de estar, sala de jantar, quartos e para criar mais proximidade e intimidade.

 Foto: Doppia Interiores
As lâmpadas neutras têm temperatura de cor entre 3100K e 4000K. São chamadas de luz neutra ou natural, pois sua tonalidade é mais branca, a maioria das casas utiliza lâmpadas com essa temperatura de cor.  Sua principal característica é não alterar a cor real dos objetos.
É ideal na cozinha, escritório, bancada de estudos, depósito e banheiro.
 Foto: Mark Sistemas
As lâmpadas frias são lâmpadas com temperatura de cor acima dos 4000K. Elas deixam o ambiente com tonalidade azul-violeta, proporcionam a sensação de limpeza, aumentam a acuidade visual e devem ser usadas em situações que precisamos de foco e atenção.
Ideal para ambientes como cozinha, área de serviço, escritório e banheiro. No caso da iluminação do banheiro é ideal que a maquiagem não seja feita sob essa luz, pois ela altera a cor real dos objetos.

IRC – ÍNDICE DE REPRODUÇÃO DE COR
IRC ou Índice de Reprodução de Cor é a escala de 0 a 100 que utilizamos para medir a fidelidade de cor que a iluminação reproduz dos objetos.
Lâmpadas com IRC na escala entre 80 a 100 são as que reproduzem mais fielmente as cores vistas na decoração ou nos produtos.
Foto: Arquitetizze
Os valores de IRC só podem ser comparados entre temperaturas de cor similares.

POTÊNCIA E FLUXO LUMINOSO
A potência, medida em Watts (W), informa a quantidade de energia que a lâmpada irá consumir para gerar luz. É importante lembrar que ter mais potência não significa que a lâmpada irá proporcionar mais luz, para isso temos outra grandeza, o Fluxo Luminoso, expresso em lúmens (lm).
O Fluxo Luminoso trata da quantidade de luz emitida por uma lâmpada, ou seja, quanto maior o índice, mais luz a lâmpada emite.

VIDA ÚTIL
É a expectativa de durabilidade de uma fonte luminosa.

Foto: Empalux


TIPOS DE LÂMPADAS

As lâmpadas mais comuns encontradas no mercado são:
- Incandescentes
- Halógenas
- Fluorescentes tubulares e Fluorescentes eletrônicas Compactas
- LED

Na próxima semana a gente fala mais detalhadamente sobre cada uma delas.
Porém, se antes disso, tiver alguma dúvida, entre em contato que a gente ajuda você!

Se quiser ser o primeiro a receber as postagens que a gente publica, cadastre o seu e-mail no botão “Acompanhe”.

Há outras postagens que podem ser interessantes para você:
LED - Vantagens e desvantagens

Continue lendo ►

A importância de um projeto de instalações elétricas

Elyzia Rodrigues | 12.12.17 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Já falamos outras vezes aqui na página de sistemas prediais e na ocasião os definimos como instalações prediais que visam garantir o perfeito funcionamento de uma edificação dando suporte às atividades que são exercidas pelos usuários. 

Foto: Googgle

As instalações elétricas prediais fazem parte destes sistemas sendo talvez o mais importante deles uma vez que a eletricidade se tornou a principal fonte de luz e força nas atividades humanas. Se você está lendo este texto é porque a energia elétrica chega até você através de um complexo sistema que contempla as fases de geração, transmissão, distribuição e consumo. As instalações elétricas prediais estão no final desta linha fazendo a ligação entre a energia que é distribuída pela concessionária e o consumidor.

Uma instalação elétrica básica é composta por um ramal de ligação, padrão de entrada e medição, circuito de ligação, quadro de distribuição de circuitos e os circuitos de distribuição que chegam até os pontos de iluminação e tomadas, bem como dispositivos de comando (interruptores), dispositivos de força (tomadas), e dispositivos de proteção (disjuntores).


Foto: Google

Cada um destes componentes deve ser cuidadosamente dimensionado para garantir o perfeito funcionamento da instalação elétrica, no entanto é aqui que os problemas começam. Uma instalação mal dimensionada pode acarretar a perda de equipamentos conectados à rede, de componentes da própria instalação e em casos mais extremos até à perda de vidas.

 Foto: Google

Este dimensionamento deve ser feito por um profissional, que irá avaliar a potência instalada (quantidade e potência de iluminação, tomadas, equipamentos, etc.) levando em conta a probabilidade de uso simultâneo dos pontos de luz e força.

Este dimensionamento é que vai determinar a bitola de fios e cabos para cada um dos circuitos de uma instalação, a capacidade de proteção de disjuntores termomagnéticos, interruptores diferenciais, dispositivos de proteção contra surto, aterramento, etc..

Um dimensionamento incorreto dos condutores (fios e cabos), por exemplo pode provocar superaquecimento da instalação ocasionando o derretimento da isolação e consequentemente um curto circuito.

Continue lendo ►

Móveis sob medida - Vantagens e desvantagens

Elyzia Rodrigues | 5.12.17 | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Quem comprou uma casa nova, ou está pensando em reformar ou redecorar o mobiliário da casa atual com certeza se deparou com o seguinte dilema: Móveis prontos, ou móveis sob medidas? Grandes empresas ou empresas menores?
Foto: Habitíssimo 
Arquitetura: Roberta Devisate
Qual opção escolher? Qual delas se encaixará melhor em meu projeto? Qual tem melhor custo-benefício? Quais as vantagens e desvantagens?
Dúvidas, dúvidas, dúvidas...
Calma, vamos tentar esclarecer as coisas!
O mobiliário fabricado sob medida é ideal para os ambientes pequenos, porque otimiza o espaço e aproveita locais que não poderiam ser usados por móveis convencionais, mas também, para os ambientes maiores, pois faz com que os móveis conversem entre si, tornando a ambientação mais harmônica.
Foto: Habitíssimo
Devemos primeiramente analisar as nossas necessidades específicas, definindo o que precisamos para cada espaço.
Pense em que cômodos da casa serão instalados, banheiro, quartos, salas, cozinhas, escritórios.
O que precisa ser guardado, sapatos, roupas, acessórios, louças, livros, utensílios. Fique atento á quantidade, necessidade de armazenamento e frequência de uso de cada objeto.
Foto: Pinterest
Os móveis sob medida oferecem um mundo de possibilidades, desde soluções mais simples, como prateleiras, até as mais complexas, desde que todas as necessidades sejam pensadas previamente.
Essa primeira etapa é fundamental quando falamos em móveis desse tipo, pois eles devem ser bem planejados e pensados porque depois de fabricados e instalados passam a fazer parte da estrutura e arquitetura da casa.  Logo, qualquer informação incorreta, ou esquecida poderá causar problemas no futuro.
Definida as necessidades de utilização, a segunda etapa diz respeito ao acabamento, cor, textura, tipo de puxadores, corrediças, espelhos ou outros detalhes que queira utilizar.
Foto: Emobile
Internamente o material mais utilizado é o MDF branco, pois é o mais barato comparado a outros padrões de acabamentos existentes.
Externamente, você pode usar no projeto diferentes materiais ou cores, além de espelhos que são perfeitos para criar uma sensação de amplitude principalmente em ambientes pequenos.
O projeto pode ser elaborado por um arquiteto, uma loja especializada ou um marceneiro, o importante é certificar-se de que sejam profissionais de confiança e com experiência comprovada para evitar surpresas na negociação, no pagamento do serviço, no prazo de entrega, no resultado e na qualidade final dos móveis. Ou seja, é fundamental buscar referências e recomendações antes de fazer a escolha.


Foto: Doce Obra
É possível desenvolver móveis inteligentes e funcionais, podemos dar asas à imaginação e desenvolver elementos deslizantes, dobráveis, extensíveis ou mesmo aqueles que desaparecem por completo quando não estão em uso. Com esse tipo de recurso os espaços ganham em funcionalidade e praticidade podendo até mesmo desempenhar dupla função e tornando sua utilização muito mais fácil. 
Nem sempre os móveis comprados prontos atendem ás suas necessidades, além disso, há um ponto importante, diferente dos móveis sob medida você não tem muito controle sobre a qualidade do MDF e das ferragens utilizadas na fabricação, logo não terá controle sobre a sua durabilidade.
Como tudo na vida, nem tudo são flores...  Algumas características dos móveis sob medida podem não agradar algumas pessoas.

Foto: Has Hook
Móveis sob medida demandam mão de obra especializada, independente de ser contratado a uma loja grande, ao arquiteto, ou ao marceneiro, isso torna o preço dos móveis mais caros do que os convencionais comprados já prontos. Mas entre esses poderemos encontrar diferenças de preços, possibilidades de negociação e formas de pagamento.
A maioria dos móveis sob medidas são presos nos ambientes onde são instalados, o que impossibilita a movimentação esporádica, com isso as possibilidades decorativas e de mudança de visual ficarão restritas.
Foto: Good some Design
Em casos de mudanças, a mobília precisa ser desmontada por um profissional especializado e ajustada para usar em outra residência.
O tempo que leva para os móveis sob medida fiquem pronto não será o mesmo que comprar um móvel na loja e trazer direto para casa. Esse tempo de produção dependerá do profissional ou da loja escolhida e também do tamanho do seu projeto.
Se você mora em um imóvel alugado em que não há armários é possível negociar com os proprietários a instalação dos mesmos em troca de desconto no aluguel, por exemplo. Isso irá valorizar o imóvel e quando você sair o investimento poderá ser aproveitado pelo inquilino seguinte.
Foto: Movdecor
Há ainda no mercado as lojas de móveis planejados, seus produtos são diferentes dos móveis sob medidas porque trabalham com volumes modulados com dimensões pré-definidas. Assim, a variação de acabamentos e dimensões é mais restritiva podendo dificultar a harmonização com o restante dos mobiliários do ambiente. 
Embora o prazo de entrega seja menor e haja facilidade de financiamento em parcelas menores, você não terá controle sobre a qualidade do material utilizado na fabricação.
Foto: Houzz
Pode acontecer de você precisar de um módulo que não tenha no estoque ou que precise ampliar com outros módulos e a linha que comprou já  não é mais fabricada.
Por isso, é preciso pensar direitinho quais são as suas necessidades.
Se precisar de ajuda, entre em contato.

Se quiser ser o primeiro a receber as postagens que a gente publica, cadastre o seu e-mail no botão “Acompanhe”.

Continue lendo ►

O que é o piso drenante?

Elyzia Rodrigues | 28.11.17 | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Que tal ajudar a aumentar o número de pneus reutilizados?

Foto: Aubicon

 Com o crescimento constante da frota de veículos em todos os lugares do mundo já é regra criar novas possibilidades de outros usos para pneus usados. Retirá-los do meio ambiente é a primeira ideia e isso leva á criação de inúmeros produtos inovadores.

Podemos encontrar pneus reutilizados tanto em produtos mais artesanais, como mobiliários e objetos decorativos como industriais. 

Foto: Piso Leve

O piso drenante com amortecimento de impacto é um desses produtos industriais. 

Esse piso é desenvolvido com grânulos de pneu reciclado em sua base também chamada brita de pneu reciclado ou granulado de borracha EPDM.
Ele pode ser encontrado sob a forma de placas de encaixe, manta ou com moldagem in loco.

Continue lendo ►

Por que a beleza importa?

Elyzia Rodrigues | 14.11.17 | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Você se importa com a beleza na arte, música e arquitetura? Está procurando conforto ou consolo nesse mundo? Quer aprender sobre a natureza humana, a sexualidade e o desejo? Quer entender por que a tradição importa? Quer simplesmente quer saber como nutrir melhor suas amizades?

 Foto: Jornal Estadão
 Escultura: Davi - Michelangelo - 1504


Aproveitando que amanhã é feriado, a dica de hoje é sobre um documentário, que apesar de mais antigo, ele foi produzido pela BBC de Londres em 2009, traz ótimas reflexões sobre a importância da beleza na arte e na vida.

O documentário entitulado "Por que a beleza importa?" apresenta as ideias de Roger Scruton, um dos mais importantes filósofos e escritor da atualidade. As ideias apresentadas no documentário são baseadas no livro (que ainda não li) de sua autoria "Beleza" da editora É Realizações.
 
 
 Foto: Liberty Law
 
A abordagem do documentário é mais filosófica do que histórica ou psicológica nos conduzindo por questionamentos como: A beleza é subjetiva? Existem critérios válidos para julgar uma obra de arte? Há algum fundamento racional para o gosto? Qual a relação entre tradição, técnica e gosto? Pode o belo ser imoral?

Scruton também questiona: “Por que estudarmos a herança de nossa arte e cultura numa época em que o julgamento de sua beleza não possui nenhum fundamento racional?”.
 
 
 Foto: Ramos da Cultura
Pintura: Nascimento de Vênus - Botticelli - 1486
 
 
Para assistir ao vídeo clique aqui

O livro "Beleza" e outros livros do autor podem ser encontrados em todas as livrarias e a maioria deles, senão todos, são traduzidos para o português.
Continue lendo ►

Casa Pré-Fabricada de Madeira - Vantagens e Desvantagens

Elyzia Rodrigues | 7.11.17 | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Muita gente gostaria de morar em casas de madeira afinal elas nos passam toda uma sensação de aconchego e acolhimento, a cor da madeira é quente e remete ao campo e à natureza. É uma ótima aposta para quem gosta de rusticidade e um ambiente caloroso. 
 
 Foto: Casas Vila Rica
 
Nos Estados Unidos, nove entre dez cidadãos americanos moram em casas de madeira, além de questões culturais, essa escolha se dá porque no país há abundância de madeira além de grande variedade de espécies que podem ser utilizadas na construção.
 
No Brasil, a cultura é diferente, as casas de alvenaria são muito valorizadas e aqui a abundância maior é de minerais.
 
Por aqui a maioria das casas de madeira pré-fabricadas é construída em sítios ou condomínios fechados, mas é plenamente possível que elas sejam construídas na cidade. Há pouco incentivo e conhecimento sobre essas opções e, por isso mesmo, elas não são tão populares.
 
 Foto: Pinterest
 
Para escolher a opção ideal você precisa entender quais são as vantagens e desvantagens dos diferentes tipos de construção. Independente do tipo escolhido vale lembrar que um arquiteto e um bom planejamento são fundamentais.
 
As principais características das casas pré-fabricadas de madeira são a rapidez, a praticidade e a eficiência da construção.
 
O sistema de construção das casas pré-fabricadas é feita através de módulos de madeira e as empresas oferecem alguns modelos de casas, com personalização das janelas, portas, pisos, cores e texturas.
 
Foto: Portal G1
 
Porém a modulação é feita sob um terreno previamente idealizado. Caso seu terreno não corresponda á essa idealização será necessário ajustar a casa ao terreno. Dessa forma, a solução poderá ser construir uma casa com uma mistura das melhores soluções entre o sistema de casas pré-fabricadas e o sistema de construção convencional de alvenaria.
 
O custo pago pelo valor/hora da mão de obra contratada é menor do que na construção convencional de alvenaria, pois o sistema de encaixe das peças reduz o tempo de execução. A montagem só leva mais tempo nas etapas de cimentação e instalação dos sistemas hidráulicos, sanitários, elétricos ou outros sistemas que queira contratar.
 
Modificações no projeto inicial ou a manutenção de uma parede são mais simples e mais baratas.
 
 Foto: Habitíssimo
 
O transporte da fábrica até o sue terreno fica sob sua responsabilidade, o que quer dizer que se o seu terreno estiver há uma grande distância da fábrica ou se a logística da entrega exigir outros custos não valerá a pena.
 
É por essa razão que não se pode dizer que a construção de casas pré-fabricadas de madeira tem custo menor que as construções convencionais de alvenaria.
 
O que se pode afirmar é que o sistema garante um controle bastante preciso e eficiente sobre os custos e sobre os desperdícios ao longo de todas as etapas pois as atividades envolvidas são pensadas previamente.
 
 Foto: Casa & Jardim
 
Uma diferença importante e que talvez faça com que tenha que escolher pela construção de alvenaria convencional é a quantidade de dinheiro que tem disponível para investir.
 
A casa convencional de alvenaria, você pode comprar os materiais de acordo com o desenvolvimento da obra, desembolsando uma montante de dinheiro por vez.
 
As empresas de casas pré-fabricadas exigem o pagamento de boa parte do custo da casa na assinatura do contrato, porém não estará sujeito às variações de preços no mercado.
 
Vale lembrar que tal como as casas convencionais de alvenaria, as casas pré-fabricadas também precisam lidar com a burocracia legal para obter licenças e alvarás. A boa notícia é que esse processo pode ser mais rápido para as pré-fabricadas por causa das especificações previamente determinadas.
 
 Foto: Pinterest
 
Outro ponto importante a ser avaliado, verifique se a instituição financeira que pretende escolher, se for essa a sua situação, libera financiamentos para este tipo de construção.
 
Antes de iniciara construção da sua casa pré-fabricada de madeira, o terreno deve estar limpo e o solo devidamente tratado para evitar o aparecimento de cupins. Se o terreno estiver em aclive ou declive será preciso fazer o seu nivelamento e como dito anteriormente o arquiteto de sua confiança deverá ajudá-lo.
 
É um mito quando se diz que a casa pré-fabricada de madeira tem menor durabilidade que uma casa convencional de madeira. Ao contratar a empresa fornecedora, certifique-se que ela trabalha com madeiras certificadas e tratadas. 
 
 
 Foto: Habitíssimo
 
Para garantir sua durabilidade e resistência, as casas pré-fabricadas de madeira devem receber um tratamento especial nas áreas externa e interna. Recomenda-se passar verniz de base aquosa de 4 em 4 anos para a parte externa e 20 em 20 anos para a parte interna. Fazer uso do verniz stain e do verniz com filtro solar a cada 3 anos protege a estrutura da madeira de fungos e outros insetos.
 
As casas pré-fabricadas de madeira também podem ser pintadas com tintas de acordo com as orientações do fornecedor.
 
A madeira, ao contrário da alvenaria, exige uma mão de obra mais especializada, quando é preciso fazer algum tipo de reparo.
 
 Foto: Arrumadíssimo
 
Se seu terreno está localizado em uma área com riscos de desastres naturais, enchentes, furacões e deslizamentos, as casas de madeira podem não oferecer a estabilidade e força necessária para suportá-los, sendo preferível nesses casos, as casas convencionais de alvenaria.
 
É comum que as construções apresentem rangidos típicos da madeira ao pisar em certos pontos, ou abrir portas e janelas. Então avalie também até que ponto isso é um incômodo para você.
 
 Foto: Casa & Jardim
 
O tamanho máximo da madeira encontrada à venda é de seis metros. Isso significa que é difícil fazer a sustentação em ambientes grandes, com os chamados “vãos livres” – espaços em que não há nenhuma coluna ou viga de sustentação exposta. Nesse caso, a contratação de um arquiteto é fundamental para que você possa construir um projeto que atende á seus desejos e necessidades dentro das condições técnicas de cada sistema construtivo.
 
Conta aqui se você ficou animado com a possibilidade de usar esse sistema construtivo na construção da sua casa.
 
Não se esqueça! Se precisar de arquiteta estamos por aqui!
 
Se quiser ser o primeiro a receber as postagens que a gente publica, cadastre o seu e-mail no botão “Acompanhe”.
 



Continue lendo ►