Dica da Arquiteta

Dica da Arquiteta

Um segredo que os marceneiros não te contam

Elyzia Rodrigues | 29.11.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Todos os profissionais tem um elemento X que faz toda a diferença no resultado final do trabalho mas preferem manter segredo, com a marcenaria não poderia ser diferente...
 
 Foto: Construindo Casa
Arquitetura: Viviane Agostinhos
 
Afinal, o que os marceneiros profissionais fazem e não nos contam?
 
Um exemplo para entender melhor: basta olhar móveis, instrumentos e outros objetos que duram décadas e séculos permanecendo intactos, ou também o desenho dos veios da madeira em um móvel que é praticamente uma obra de arte, aprimorando o design.

Foto: Construbásico
Superfície da madeira vista por um microscópio

Uma boa madeira é receita para um bom resultado final, nenhum segredo aqui. Então qual é o grande segredo? O corte.
 
A madeira é uma matéria prima relativamente barata, de uso fundamental, ótima durabilidade, mas precisamos lembrar que ela se desenvolve ao longo dos anos sob diversas condições climáticas, com localidades variadas, etc.
 
Cada espécie de madeira tem suas peculiaridades e os marceneiros profissionais sabem lidar muito bem com cada uma delas. Porém, as técnicas de corte que mostraremos a seguir seguem um parâmetro que pode ser usado na maioria das espécies, e não somente proporcionar um bom resultado, mas um excelente resultado.
 
 Foto: Casa & Jardim
 Arquitetura; Gabriela Marques 
 
Vamos abordar aqui três tipos de corte, em madeira bruta:
  • Corte plano (Plain-Sawn)
  • Corte em rasgo (Rift-Sawn)
  • Corte em quartos (Quarter-Sawn)
 
Ok, agora, qual a diferença entre eles? Para que servem?
 
Antes de irmos as especificações de cada corte, vamos rapidamente entender um pouco mais sobre a madeira.
 
O ponto X da questão é entender que toda madeira tende a empenar perante à curva dos anéis formados no cerne. Portanto, quanto mais irregularidades e curvas estiverem presentes em uma peça, menor sua durabilidade, solidez e resistência. Simples questão física.


A foto acima ilustra a formação padrão dos troncos, obviamente, de onde a madeira é extraída. Entendendo que ela se forma em expansão de dentro pra fora em formato cilíndrico irregular, fica bem mais fácil visualizar as serventias e texturas dos cortes.
 
CORTE PLANO
 
É o tipo mais comum e requisitado em projetos (e também o mais barato). Este tipo de corte se estende de uma extremidade a outra do tronco, em cortes retos (ignorando as curvas da formação natural da madeira).
 
A madeira é uma matéria prima irregular e este tipo de corte deixa explícita esta irregularidade, o que torna visualmente bem atraente e industrialmente bem lucrativo, é o corte com menos desperdício possível. 
 
 
O corte plano é o que causa mais efeitos visuais possíveis, com uma textura muito atraente acaba sendo muito utilizado em portas e móveis.
 
CORTE EM RASGO
 
O corte em rasgo é o tipo de corte mais preciso quando se trata de captar proporcionalmente os cernes, tendo a menor variação entres os outros tipos de cortes (30º/60º). Com precisão cirúrgica da extremidade ao centro, fica claro que não é possível fazer muito aproveitamento da madeira.
 
Para compensar o desperdício, é o tipo de corte que contem menos irregularidades, menos efeitos visuais, porém a maior solidez possível na peça cortada e textura bem homogênea, o que a torna extremamente interessante para móveis onde a linearidade da peça é requisitada.
 
 
A ferramenta recomendada para este tipo de corte é a serra de mesa, é necessário muito cuidado ao chegar ao fim do corte, nunca utilizando as mãos nesta área.
 
CORTE EM QUADROS
 
O corte em quartos segue segmento a segmento da formação natural do tronco. Fica nítido que a intenção do corte é se estender sempre da medula do tronco à extremidade e alternado, o que torna este corte mais complexo.
 
A madeira cortada em quartos custa praticamente o dobro em relação á madeira com corte plano, por proporcionar mais durabilidade onde for aplicada. Como mostram as figuras abaixo:
 
 
Diferentemente do corte em rasgo, que busca cruzar o corte através dos cernes de forma regular possui uma variação um pouco maior dos cernes (60º/90º).
 
Este tipo de corte é muito querido em instrumentos musicais, mais especificamente em braços de guitarra, pois carrega as vibrações das cordas com muito mais eficácia se comparada ao corte plano, justamente por utilizar todo o cerne da madeira, sendo mais sólida e regular.
 
Resumindo:
  • Corte plano: visualmente muito atraente, porém menor durabilidade.
  • Corte em rasgo: visualmente sóbrio, linear, com forte durabilidade e solidez.
  • Corte em quartos: visualmente sóbrio, irregularidades causadas pelos raios formados naturalmente pela madeira. Forte durabilidade e transmissão de vibração.

Foto: Casa & Jardim
Arquitetura: Gabriela Marques
 
Espero que com essas informações consiga conversar melhor com o seu marceneiro alinhando o seu desejo e as respectivas possibilidades técnicas da marcenaria.
 
Ah, vale lembrar: cortar madeira é perigoso, sempre consulte um marceneiro profissional antes de se aventurar.
Continue lendo ►

Mesa de centro ou um pedaço do oceano na sala de estar?

Elyzia Rodrigues | 22.11.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Já observou que todo mundo tem a lembrança de um móvel, de um objeto ou de uma paisagem que carrega em si histórias e lembranças da própria vida, ou mesmo da vida de várias gerações da sua família? 

Foto: La Table
Design: Alexandre Chapelin - Lagoon
Esse móvel, objeto ou imagem mesmo que não exista mais ou que não os tenhamos em nossa casa estão sempre na nossa memória, pode ser a lembrança do piso de tábua corrida da casa dos avós, da ferramenta usada pelo pai, da paisagem de uma inesquecível temporada de férias com os primos...

Em casos assim é preciso cuidar para que este móvel, objeto ou paisagem esteja sempre vivo ou trazer para mais perto de si de forma mais concreta, para que continue encantando, acolhendo e confortando a você e as pessoas ao seu redor.

Foto: La Table
Design: Alexandre Chapelin - DB
Foi a partir da observação que seu entorno não tinha o encanto que ele julgava necessário que o designer francês Alexandre Chapelin concebeu o conceito “La Table” que consiste em criar uma peça simples de mobiliário como um mesa de centro e transformá-la criativamente em uma declaração artística única e que seja um verdadeiro reflexo de seu dono.

Para conseguir isso, "La Table" deve ter uma alma e uma história para contar. Tem que ser contemporânea por sua técnica de fabricação e, claro, espetacular.

“No que diz respeito à alma e à história, é bastante simples, coletamos pedaços de madeira, ferramentas e motores antigos, ligas aqui e ali e outros materiais reciclados. Esses itens devem ter um apelo vibrante e esteticamente agradável aos olhos e a história do cliente. A fim de obter uma peça moderna que é original e surpreendente, incorporamos a esses objetos históricos, itens que são mais atraentes aos olhos, como a resina e os transformamos em uma única peça sob medida. Esse conceito é muito interessante porque através dele se pode incluir qualquer coisa que venha em nossa mente.”

 Foto: Grafikci
A linha de mesas de centroLagoon” é uma celebração da beleza natural dos oceanos do planeta. As mesas combinam pedra natural com resina, criando um contraste impressionante de superfícies rochosas ao lado da vibrante resina cor de água.

As mesas têm uma aparência semelhante à vida, assemelhando-se ao encontro do oceano com planaltos, falésias e outras formações rochosas acima e abaixo do mar.
As próprias mesas foram concebidas tendo como modelos a ilha de Saint Martin situada nas Índias Ocidentais francesas.

Foto: Grafikci
"A partir de um bloco de pedra natural eu incluí a resina, para criar um bloco compacto para se ter a sensação de que uma parte do oceano está em sua sala de estar". Chapelin explica: "A pedra natural usada, neste caso foi o mármore travertino que se casa perfeitamente com a resina que representa o oceano."

Não só esta mesa é uma peça requintada de decoração, mas também é uma vitrine de oceanografia!

Qual objeto, mobiliário ou paisagem é inesquecível para você?
Como você tem cuidado dele?

Continue lendo ►

Cerâmica extrudada - Econômica e fácil de assentar

Elyzia Rodrigues | 16.11.16 | | | | | 2 Comentários
Não é nenhuma novidade que em se tratando de revestimentos há uma variedade enorme de materiais, só aqui na página já falamos de pastilhas, cimento queimado, ecogranito, piso cimentício, entre outros.

Fica cada vez mais difícil escolher um revestimento sem ficar em dúvida entre algumas alternativas que também nos atendam adequadamente quanto ao custo e características como durabilidade e resistência.

Foto: A&C Web
As cerâmicas são inegavelmente um dos revestimentos mais adequados para especificar para o seu projeto de arquitetura, pois são peças que apresentam grande versatilidade, resistência, durabilidade e manutenção mínima.

Há no mercado diferentes tipos de cerâmica que variam entre si de acordo com forma de fabricação, corte, queima ou material empregado.

Foto: Gail

A cerâmica extrudada é uma cerâmica feita por meio de uma massa composta de argila e diversas combinações e teores de caulins, quartzito, calcita, talco, dolomita, filito, feldspato, mais água.

Essa mistura alimenta a máquina extrusora por meio de pressão. A massa é compactada em uma camada a vácuo que reduz a presença de ar entre as partículas, de onde em forma de fita contínua é cortada conforme o tamanho especificado, ainda antes da queima.

 Foto: Rede Sagrado
Colégio Sagrado Coração de Maria

Depois, em um processo de prensagem, a peça é levada a queima em temperatura acima de 1200ºC.

Este processo de extrusão garante ás peças características como resistência ao atrito, baixa absorção de água, entre 0,5% e 0,3%, uniformidade de cor, de corte e esquadro das peças.

A cerâmica extrudada também conhecida como grês é um revestimento que apresenta maior resistência ao impacto, á produtos químicos, á manchas e contaminação por bactérias.



Apresenta ainda facilidade de limpeza e manutenção, durabilidade, alto desempenho térmico, suportando variações bruscas de temperatura e são antiderrapantes.

Como as medidas da cerâmica extrudada é rigorosamente controlada e calibrada, podem ser assentadas com juntas menores entre 4,0 mm a 6,0 mm, garantindo um alinhamento perfeito entre as peças, maior produtividade no assentamento e redução do uso de rejunte, com melhor relação custo/benefício.

Em peças prensadas os rejuntes variam entre 0,8mm e 10mm.

Foto: Gail 
Diferenças de características entre cerâmica extrudada e cerâmica prensada

A cerâmica extrudada por suportar as mais severas condições pode ser especificada para diferentes projetos, tanto os residenciais como piso externo e interno, áreas de lazer e beira de piscinas, como industriais, e também, hospitalares e comerciais, além de piso tátil para passeios públicos e fachadas ventiladas.

As dimensões e espessura da cerâmica extrudada varia de linha para linha e também de fornecedor para fornecedor.

A cerâmica extrudada apresenta garras cônicas que permitem maior fixação ao substrato, aderência química e contato, tornando seu assentamento mais seguro.

Foto: Dica da Arquiteta

O assentamento da cerâmica extrudada não tem grandes segredos.
De acordo com a arquiteta Marta Aroucha da Marta Aroucha – Arquitetura e Representação representante entre outras marcas, da cerâmica extrudada NBK Hunter Douglas, o assentamento não necessita de mão de obra especializada, mas é preciso atender ás normas sobre o assunto (NBR 13573, NBR13574 e NBR13575) e sempre atender á dupla colagem e ás instruções de manipulação e uso dos fornecedores de argamassa e rejunte.

Para um assentamento adequado das peças leia atentamente os catálogos de execução dos fabricantes.

Foto: Hunter Douglas

Com o tempo cada vez mais precioso que temos perdê-lo com limpeza de revestimentos do piso ou parede definitivamente não é uma boa escolha.

A manutenção da cerâmica extrudada também é simples, mas é preciso cuidado com materiais de limpeza á base de ácido clorídrico/muriático, pois atacam e danificam o rejuntamento, a manutenção ideal é feita somente com água e detergente neutro. Usar esponja macia na limpeza para evitar riscos.

Esse revestimento é ou não é uma alternativa interessante para usar em seu projeto?

Continue lendo ►

10 plantas ideais para criar um oásis de ar puro em sua casa

Elyzia Rodrigues | 8.11.16 | | | | Seja o 1º a comentar!!
Que tal investir em plantas que espantam as “energias negativas” dos ambientes?
Não estou falando de olho gordo, mau-olhado, inveja...

Foto: Quintal di Casa

Mas sim de atmosfera intoxicada por substâncias tóxicas que são eliminadas no ambiente por tintas, vernizes, adesivos, lenços e toalhas de papel, tecidos e fibras sintéticos, plásticos, materiais de limpeza, emborrachados e fumaça de cigarro e carro. Tais substâncias podem provocar tontura, dores de cabeça, náuseas, sonolência, irritação no nariz, boca, garganta, além de dores de cabeça, entre outros sintomas.

Respirar ar puro não é nada fácil, então a solução é tentar criar um oásis de ar puro dentro dos ambientes em que vivemos.

Foto: Histórias de Casa

A NASA que não trabalha somente com assuntos puramente espaciais, realizou uma pesquisa onde listou as plantas que possuem o maior potencial de purificação de ar.

Como a gente adora fazer uso de plantas e flores simplesmente por elas enfeitarem os ambientes, com essa informação teremos uma razão a mais para usá-las.

Então, preste atenção na lista e faça a sua escolha:


1- Clorofito, aranha ou gravatinha(Chlorophytum comosum)


O clorofito é uma planta muito comum por não exigir muitos cuidados, além de se multiplicar facilmente.

Pode ser cultivadas em vasos ou cuias pendentes ou forrações como a hera-inglesa, gosta de ambientes a meia-sombra e substrato bem drenado e irrigação periódica.


Ideal para purificar ambientes em que toxinas de materiais utilizados no tratamento do couro, borracha e impressões são liberadas.

2- Lírio-da-paz ou Bandeira-branca (Spathiphyllum wallisii)


Foto: Círculo Verde

É uma das melhores plantas purificadoras, ele remove todos compostos orgânicos voláteis do ar e purifica até mesmo se alguém tiver fumado no recinto.

É uma planta que pode ser cultivada tanto em vasos como em canteiros, se desenvolve com facilidade, prefere ambientes á meia-sombra, precisa de um substrato bem drenado e deve ser molhada periodicamente.

3- Babosa (Aloe vera L. / Aloe Arborescens Mill.)

Herbácea suculenta de diversas variedades, a babosa é uma planta que cresce rapidamente, adora o sol e é resistente á invernos rigorosos, além de resistir bem a solos pouco fertilizados.

 Foto: Espaço Plantar

Pode ser cultivada em vasos ou canteiros, inclusive de pedra.

Proporciona a eliminação de substâncias como formaldeído e benzeno, substâncias liberadas por tintas, vernizes, tecidos e fibras sintéticos e plásticos.Também possui um gel que pode ajudar a curar cortes e queimaduras e tem propriedades calmantes.

4- Hera ou Hera-inglesa (Hedera helix L.)


Planta ideal para ambientes de ar seco e difícil de respirar, a hera-inglesa pode umidificá-lo de forma natural apenas sendo colocado nele em um vaso.

Além de deixar o ambiente mais bonito, ela é uma poderosa purificadora de quase todos os compostos tóxicos, menos a amônia presente em produtos de limpeza.

Ela é uma espécie de planta que pode ser cultivada em vasos pendentes, jardineiras, apoiadas em árvores ou como forração. Adaptam-se bem á meia-sombra e ao sol.


5- Espada de São Jorge ou língua de sogra (Sansevieria trifasciata)

Foto: Limão na Água

A Espada-de-São-Jorge é considerada pela pesquisa a mais versátil para se criar no espaço, pois é uma planta que libera oxigênio à noite, além de absorver dióxido de carbono, logo é ideal para ser mantida no quarto, pois garante uma boa noite de sono.

Além disso, ela se dá bem tanto á pleno sol como á meia-sombra, em temperaturas mais altas ou mais baixas e em solos mais pobres com pouca irrigação.

6- Gérbera (Gerbera jamesonii)

Foto: Damatex

Com flores de intenso colorido as gérberas são flores que podem ser cultivadas em vasos, canteiros ou mesmo em arranjos decorativos.É uma planta de gosta de sol, solo rico em nutrientes e clima mais amenos.

Ideal para oxigenar ambientes, pois o oxigênio liberado melhora a qualidade do ar e acalma, por isso é ideal manter um vaso sempre perto da cama pois ajuda a combater a insônia.

7- Crisântemo (Morifolium chrysantheium)

Foto: Roni Enfoque

Tal como a gérbera, o crisântemo possui flores de intenso e variado colorido também podem ser cultivadas em vasos, canteiros ou mesmo em arranjos decorativos, não gostam de sol indireto e de um solo rico em nutrientes.

É, junto com o Lírio-da-paz, a planta que mais remove toxinas do ar como o benzeno, que geralmente é encontrado em cola, tintas, plásticos e detergentes, são boas para filtrar fumaça de cigarro, charuto e cachimbo.

8- Antúrio (Anthurium andreanum)

 
 Foto: Imgrum

O antúrio é uma planta com belíssimas flores e é eficaz para filtrar a amônia liberada por produtos de limpeza, por isso é ideal para cozinhas e banheiros.

Pode ser cultivada em vasos, jardineiras, sempre com luz indireta e solo rico em nutrientes.Também pode ser usada em arranjos sendo bastante resistente podendo durar vários dias.

9- Samambaia (Nephrolepis exaltata)

Foto: Habitíssimo

Há inúmeras espécies de samambaias, é a planta típica da casa de nossas avós.

São plantas normalmente cultivadas em vasos, jardineiras e canteiros, elas demandam luz indireta, substrato bem nutrido, drenado e irrigado periodicamente. Absorve todas as substâncias tóxicas dos ambientes.

10- Palmeira ráfis (Rhapis excelsa)

Foto: Jeito de Casa

A palmeira ráfis é uma planta encontrada em muitos ambientes por sua capacidade de adaptação em ambientes com pouca luz, intensa iluminação artificial, gosta de umidade e solo bem nutrido.

Adapta-se relativamente bem em espaços com ar condicionado. Elimina praticamente todas as toxinas dos ambientes.

Outras postagens interessantes:
Plantas ideais para ambientes internos
Uma casa na árvore

Fonte:
SOS Solteiros
Limão na Água 
Green Nation







Continue lendo ►

Arquitetura, música e uma constelação digital

Elyzia Rodrigues | 1.11.16 | | | | Seja o 1º a comentar!!
O post de hoje é para trazer um pouco de inspiração...

Foto: Design Boom

Miguel Chevalier é um artista mexicano nascido em 1959 que vive em Paris e que trabalha desde 1970 com projetos em plataforma digital.

No último dia 01 de outubro foi aberta a visitação para seu mais recente trabalho, a instalação “Voûtes Célestes” (Abóbodas Celestes) que foi instalada nas abóbadas da nave central da capela-mor da Igreja de Saint Eustache construída no século XVI na capital francesa pelo arquiteto Domenico de Cortona.

Foto: Dicas de Francês

A instalação interage com a arquitetura gótica do espaço fazendo com que os volumes das colunas e as nervuras se envolvam numa coreografia de luz e som.

A instalação gera gráficos num céu imaginário em tempo real, criando 35 redes de diferentes cores de luz que se espalham sob a forma de teia sinuosa.

Foto: Design Boom

Miguel Chevalier concebeu estes malhas monumentais que ganham e perdem formas á medida que os visitantes se movimentam pelo ambiente e são acompanhadas de improvisações musicais do órgão do músico Baptiste-Florian Marle-Ouvrard diante dos olhos e ouvidos dos visitantes que podem assistir deitados no chão.

A instalação "Voûtes Célestes“ enfatiza a impressão de monumentalidade, altivez e leveza da igreja e induz a um sentimento espiritual e contemplativo, onde a luz, as cores e os movimentos criam uma atmosfera virtual dentro do espaço sagrado.

Foto: Design Boom

Veja o vídeo da instalação aqui.

Você também pode gostar dessas postagens:
Guarda-sóis gigantes da Arábia Saudita
Quando música e arquitetura se fundem
Setas de Sevilla - Arquitetura que inspira

Fonte:
Design Boom




Continue lendo ►

Película de Controle Solar - Ameniza o calor e a incidência solar

Elyzia Rodrigues | 25.10.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Com o aumento da temperatura aumentam também as perguntas sobre as formas de amenizá-la. Algumas perguntas são sobre como diminuir o calor do ambiente para economizar no consumo de energia pelo aparelho de ar condicionado, outras são sobre as formas de diminuir o calor de ambientes em que o ar condicionado não está instalado ou não há como fazer a instalação, e outras sobre como diminuir o ofuscamento do sol em certos ambientes.

Foto: Arquitetura & Construção 
Virgínia - EUA
 Arquitetura: Bartholomew Voorsanger - Voorsanger Architects

Em outras postagens já falamos sobre os brises e sobre os cobogós, elementos arquitetônicos que nos permitem minimizar a entrada de luz, o ofuscamento dos olhos e também a produção do calor no interior dos ambientes.

Porém, nem sempre essas alternativas são possíveis, não somente pelo custo, mas também porque em algumas situações a instalação torna-se muito complicada em função de restrições técnicas entre outras restrições.



Em situações assim o jeito é buscar outras soluções e uma delas é a instalação de películas de controle solar.

As películas de controle solar são plásticos filmes ultrafinos compostos de camadas de poliéster, pigmentos, absorventes de raios UV, com produtos protetores resistentes à abrasão e outros componentes, para serem instalados em superfícies de vidro com o objetivo de proporcionar proteção solar, alguns produtos tem em sua composição lâminas metalizadas.


A película mais conhecida certamente é a película usada em vidros de automóveis, conhecida como insufilm, mas existe também uma grande variedade de padrões e cores de películas que solucionam de forma eficaz o controle solar não só em automóveis, mas também em construções comerciais e residenciais.

A instalação da película de controle solar em automóveis ou imóveis proporciona na área envidraçada o efetivo controle da transmissão, absorção e reflexão da energia solar.

No caso de imóveis não é somente o calor que é preciso ser minimizado, a constante exposição do mobiliário, tecidos e tapetes ao sol direto causa desbotamento em função da incidência diária dos raios UV, nesse caso somente fechar as cortinas ou persiana não é suficiente.

Foto: CCriativa

As películas de controle solar podem reduzir a incidência de raios ultravioletas prejudiciais entre 96% e 99%, elas também reduzem o ofuscamento em até 90%, reduzindo o cansaço dos olhos, essas características dependem do padrão da película especificada para cada ambiente, as películas de controle solar também conseguem reduzir o nível de calor em 79%, nesse caso se consegue uma economia de energia elétrica de15% em ambientes com ar condicionado.

É preciso estar atento para um ponto importante, as películas têm níveis diferentes de refletividade, de acordo com sua metalização e transparência.


As películas de controle solar podem ser não refletivas, semi refletivas, levemente metalizadas ou metalizadas, a existência de partículas metálicas em sua composição permite um índice de reflexão maior da energia solar e do calor.

Uma dúvida muito comum é se a instalação da película altera a fachada de condomínios e também se há necessidade de um profissional especializado.

A película de controle solar fica invisível nas fachadas desde que não utilize uma película de padrão espelhado.

Foto: 3M Solutions

Segundo alguns fornecedores as películas de controle solar metalizadas podem interferir nos sinais de telefonia celular, GPS ou rádios, então é preciso atenção quando for utilizá-la.

A instalação da película de controle solar é muito fácil, mas contratar um profissional é o ideal, as películas de controle solar são instaladas com um adesivo especial e se você não tem muita prática com esse tipo de serviço corre o risco de perder o produto por formação de bolhas ou dobras.

Foto: Sun Películas

As películas são vendidas o metro quadrado e a instalação já está incluída no preço. 


A película de controle solar se ajusta às características de qualquer vidro permitindo que seja instalada a qualquer momento de forma rápida e sem geração de grande volume de resíduos.

A película de controle solar possui grande durabilidade e quando estraga pela ação do tempo ou é danificada pode ser removida e substituída facilmente.

Foto: Clasf

Há também no mercado as películas decorativas e película de segurança.Como o próprio nome diz as películas decorativas são tratadas com um revestimento para a decoração do ambiente, mas também protegem os vidros contra arranhões, são instaladas com um adesivo especial de longa duração, garantindo grande durabilidade ao produto.

Ao renovar a decoração do ambiente são removidas com facilidade sem riscos ou trincas nos vidros.Os padrões e cores determinam o nível de privacidade que proporcionam aos ambientes, controlando a visibilidade de algumas áreas.

Foto: Aliexpress - Películas Decorativas

Nos casos em que o vidro se quebra a película instalada segura os pedaços estilhaçados dando segurança no entorno do ambiente.

A película de segurança é ideal para utilizar em portas de entrada, divisórias e painéis de vidro, elas são perfeitas para proteção de pessoas e ambientes evitando danos e gastos nos mais diferentes incidentes.

As películas de segurança aumentam a resistência do vidro a choques, impactos e vandalismo, pois seguram o vidro estilhaçado dentro da moldura em que estão instalados.

Foto: Cristal Film

Também estão disponíveis em diferentes espessuras e colorações, todas com cobertura resistente a riscos. Alguns fabricantes fornecem películas que promovem a segurança e também o controle solar.

As películas levam 30 dias para se aderirem completamente á superfície dos vidro, nesse período a limpeza só poderá ser feita com pano seco para retirada de poeira, uma limpeza mais caprichada pode ser feita com água, sabão neutro e um pano macio.


Foto: A&C Web

Não use produtos como limpa vidros, álcool ou abrasivos pois corre o risco de deixar a sua película manchada.

Espero ter respondido ás dúvidas sobre as películas de controle solar.

Quer saber mais sobre como minimizar o calor, tem outras postagens:

Continue lendo ►

Pastilhas de Inox - Prática e elegante

Elyzia Rodrigues | 18.10.16 | | | | | 2 Comentários
Aqui na página já falamos sobre as pastilhas de vidro e também sobre as pastilhas de coco, ambas resistentes e versáteis podendo ser usadas em piso, parede ou mobiliário, mas falar bem das pastilhas é bem suspeito por aqui... Afinal, a gente adora!

Foto: Revista Sua Casa

As pastilhas de inox são tão resistentes e duráveis quanto as pastilhas de vidro e coco, o aço inox possui propriedades que possibilitam que ele não sofra oxidação atmosférica, logo não enferrujam e para garantir uma boa manutenção não há grandes segredos.

As pastilhas de inox são também muito versáteis e podem ser utilizadas para revestir paredes de cozinhas, áreas de churrasqueiras, banheiros, lavabos e também mobiliário, em ambiente interno e externo, seja o seu imóvel residencial ou comercial.

Foto: Pinterest

Se a ideia é dar uma característica de sofisticação ao ambiente essa  escolha é certeira.
Podemos encontrar no mercado diferentes modelos de pastilhas de inox: pastilhas de inox espelhado, pastilhas de inox escovado, que podem ser prata ou dourada, e também as miscelâneas de pastilhas inox escovado e espelhado, ou pastilhas de inox com pastilhas de vidro, ou seja, dá para fazer uma infinidade de combinações.

As pastilhas de inox vão exigir importantes cuidados durante a instalação e apesar de fácil deve ser feita por um especialista ou profissional da área, para não ocorrer erros que podem danificar o material.
O plástico de proteção das pastilhas de inox só deve ser retirado na hora de fazer o acabamento do rejunte e o polimento do mesmo, caso contrário as suas peças podem se arranhar.

 Foto: Sincenet
 
Ao fazer o rejuntamento é imprescindível o uso de rejuntes específicos para pastilhas de inox, além disso, a desempenadeira de aplicação deve ser emborrachada para que qualquer possibilidade de riscar as pastilhas passe longe.

Continue lendo ►

Outubro Rosa... E rosa na decoração

Elyzia Rodrigues | 11.10.16 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Aproveitando o período do Outubro Rosa hoje vamos falar um pouco sobre a influência da cor rosa nos ambientes. Não poderia ficar de fora dessa causa tão nobre, não é mesmo?

Foto: Pinterest

Vamos mostrar alguns ambientes em que essa cor é predominante, com isso você vai se lembrar de participar dessa importante causa não apenas se comprometendo com você mesma a fazer exames preventivos como convidando as mulheres do seu círculo de amizade a participarem também!

Rapazes, vocês não farão os exames... Mas não podem deixar de incentivar! Combinado? 

 Foto: Clique Interiores

A cor é energia e é um fator determinante na maneira como nos relacionamos com os ambientes e o tipo de sensação que ele nos transmite.

Como já foi dito na postagem Tons de cinza e decoração, cada cor está associada a determinada característica que nos influencia positiva ou negativamente, essa influência será adequada quando estiver de acordo com o que queremos ou precisamos sentir.

Foto: Lista Perfeita

A cor rosa se encontra no espectro de cores na faixa de transição entre o violeta e o vermelho e no quadro de suas qualidades estão a sensibilidade, a delicadeza, a ternura, a meiguice e a suavidade.

A cor rosa também opera positivamente quando se necessita de reequilibra emoções como raiva e agressividade.

A utilização da cor rosa nos ambientes proporciona suavidade, sensibilidade viva e tranquilidade, diferente da palheta de vermelhos e amarelos que proporcionam calor ao ambiente, a cor rosa produz uma sensação de calor mais brando, de aconchego. 

Continue lendo ►