Dica da Arquiteta

Dica da Arquiteta

Hidrocultura ou Hidroponia - Opção para quem quer plantas fáceis de cuidar

Elyzia Rodrigues | 21.2.17 | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Você gostaria de ter plantas e ervas em casa, mas toda tentativa de cultivar acaba frustrada, pois todas morrem por excesso ou falta de alguma coisa que você nunca consegue descobrir? 

Foto: Pinterest

Calma! Há uma maneira de cultivar certas ervas que proporcionam um delicioso sabor á comida e um cheio super agradável na sua cozinha e também plantas que embelezam e dão graça aos ambientes sem precisar mexer com terra ou saber a quantidade adequada de rega que elas precisam. 

Algumas espécies de plantas se adaptam bem ao cultivo somente em água, em um sistema chamado de hidrocultura ou hidroponia.

O princípio básico da hidrocultura ou hidroponia é muito simples e bem conhecido.

Lembram-se da aula de ciências em que cultivávamos batata-doce num recipiente com água e esperávamos pelo desenvolvimento das raízes e folhagem?

Foto: Surpresaria

Pois foi a partir deste princípio simples que se desenvolveu e se aperfeiçoou o sistema de hidrocultura ou hidroponia, que passou a utilizar além da água, fertilizantes, argila expandida ou pedregulhos e recipientes especialmente desenvolvidos para este fim.

Este método de cultivo é um sistema bastante limpo e simples de ser conduzido, além disso não dá muito trabalho com transplantes, as plantas quando adequadas a este sistema desenvolvem-se bem e livres de problemas com doenças ou insetos provenientes da terra.

Ou seja, para quem tem pouco tempo para cuidar das plantas é um modelo perfeito!

Para começar o cultivo através da hidroponia ou hidrocultura vamos precisar de:

1-Recipiente ou vaso em material impermeável

Os recipientes de vidro são os mais indicados, além de bonitos, eles permitem que se possa observar o desenvolvimento das raízes. Recipientes em metal ou cobre, principalmente os não tratados podem reagir com os elementos químicos contidos nos fertilizantes e, ainda pior, podem enferrujar. Evite-os!

Foto: Alibaba

2- Agregado para firmar as raízes. 

É possível usar argila expandida, pedrinhas ou pedregulhos. A argila expandida é especialmente indicada para a hidrocultura, pois suas características facilitam a distribuição de água por todo o recipiente e ainda favorecem a circulação de ar.

3- Fertilizante

Pode-se utilizar um fertilizante líquido genérico (NPK 10-10-10), adicionado à água, porém, corre-se o risco de haver cristalização dos nutrientes não absorvidos, que acabam se concentrando nas raízes. 

O resultado é que se torna necessária uma lavagem periódica das raízes, geralmente a cada 3 meses, para que a planta não seja prejudicada. É preferível optar pelo uso de uma solução fertilizante com fórmula especialmente desenvolvida para a hidrocultura, que pode ser encontrada nas lojas especializadas em jardinagem. 

Foto: Alibaba

Os recipientes de boca estreita acomodam melhor as estacas e as mantêm retas. Porém, evite vidros de bico apertados demais, pois as raízes precisam respirar.

Ao acomodar as plantas nos vidros todas as folhas na parte inferior da estaca devem ser removidas, pois em contato com a água elas apodrecem. 

A água do vidro deve ser trocada uma vez por semana. A medida que  as raízes começarem a crescer, por volta de 2 a 6 semanas, você não precisa mudar a água. 

CUIDADOS

O principal cuidado é manter o nível correto da solução (água + fertilizante). 

Foto: Pinterest

Existem no mercado vasos especialmente desenvolvidos para este fim, com um marcador embutido para indicar o nível mínimo e máximo. 

O marcador também pode ser comprado avulso e adaptado a outros vasos.

Outra opção é fazer em casa mesmo a marcação na lateral do vaso, baseando-se no fato de que cerca de 1/3 do agregado utilizado (argila expandida ou outros) deve ficar submerso.

Observar, periodicamente, se a planta está dando sinais de carência de nutrientes (desenvolvimento lento e insatisfatório, por exemplo). 

Foto: Baú de Ideias

Caso isso ocorra, é preciso corrigir o problema com a adição de mais fertilizante. 

Mudar a planta de vaso sempre que as raízes se mostrarem muito volumosas ou compactadas, tornando o recipiente incompatível com o seu tamanho.

As ervas que melhor se adaptam á hidrocultura ou hidroponia são:

Alecrim, Sálvia, Hortelã-pimenta, Estragão, Manjericão, Hortelã-verde, Orégão, Bálsamo de limão e Stevia.

Não gosta de ervas? Então, que tal fazer arranjos com outros tipos de plantas

Foto: Imgrum

O bambu-da-sorte se adapta muito bem a esse tipo de sistema de cultivo, assim como a espada-de-São Jorge, o antúrio, a jibóia, o lírio-da-paz, papiro, palmeiras, samambaias, dracena, hera e cróton. 

E aí? Se animou agora a tentar mais uma vez? 
Conta pra gente como foi a aventura!

Se quiser ser o primeiro a receber as postagens que a gente publica, cadastre o seu e-mail no botão “Acompanhe”.

Continue lendo ►

Qual a diferença entre piso líquido e porcelanato líquido?

Elyzia Rodrigues | 15.2.17 | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Tenho recebido muitas perguntas sobre o que é o porcelanato líquido, então fui procurar saber que tipo de produto é esse e a razão de os fornecedores estarem dando a ele essa denominação. Achei importante esclarecer esse assunto para que ninguém compre gato por lebre. 

A primeira coisa que precisamos saber é a diferença entre o porcelanato e o piso líquido.

Foto: Cerqueira Gonçalves

De acordo com a NBR 13818, o porcelanato é um material cerâmico, com absorção de água menor ou igual a 0,5%, é um produto obtido a partir da mistura entre a argila e o feldspato que formam uma massa submetida a pressões de compactação acima da compactação utilizada nos materiais cerâmicos convencionais além de receber um tratamento térmico. 

Esse processo de fabricação resulta em peças de grandes dimensões com características mais homogêneas, mais densas, vitrificadas, menos porosas e com maior resistência do que as demais cerâmicas.

Foto: Portobello

Pode ter diferentes tipos de acabamento: brilhante, acetinado, fosco ou rústico. O acabamento brilhante dessas peças é conseguido através de polimento feito com maquinário específico.

O piso líquido é um piso monolítico, ou seja, sem recortes e sem juntas que recebe o nome de "porcelanato líquido" unicamente por possuir um aspecto brilhante que lembra o porcelanato, mas não é um porcelanato. 

Para que não haja mais dúvidas vamos tratar o "porcelanato líquido" como Piso líquido.

Foto: Masterplate

O piso líquido é feito de resina que pode ser resina Epóxi, resina de uretano ou resina poliuretano. As três possuem características semelhantes, porém se diferenciam em alguns pontos.

Abaixo você confere alguns:

– O piso líquido de resina poliuretano consegue acompanhar melhor as mudanças climáticas, evitando trincas, rachaduras ou fissuras precoces. Isso por conta das dilatações e retrações naturais ocasionadas pela variação de temperatura. Dessa forma, possui boa flexibilidade mecânica. Tem também boa resistência química, aos raios Ultra Violetas (UV) e à abrasão (PU alifático). Ou seja, ela é mais indicada em ambientes externos, os quais ficam expostos às intempéries naturais (chuva, vento etc.);

Foto: Doce Obra

– O piso líquido de resina Epóxi possui ótimo acabamento, além de impermeabilizar bem a superfície impedindo infiltrações de contaminantes, como micro-organismos, e ser de fácil higienização. O fato de possuir alto grau de impermeabilização a torna suscetível à umidade ascendente, embora a torne mais higiênica. São mais indicadas em ambientes internos, com menor exposição aos raios Ultra Violetas (UV), pois podem amarelar e calcinar se expostas por períodos longos aos raios solares.

O piso líquido de resina Epóxi tem custo menor, é de fácil manipulação, é pouco tóxica, aguenta alto tráfego e nas formulações sólidas (100%) possui odor baixo. É a resina mais utilizada no mercado, além de possuir muitas possibilidades de cores, o que facilita na decoração;

Foto: Decoresalteado 
Arquiteura: Francisco Spaldoni

– Em relação ao Epóxi, o piso autonivelante uretano endurece, ou seca, mais rápido. É mais fosco e possui maior resistência física e química. Sua estética é mais rústica, há limitação de cores, alta reatividade da resina e menor tempo de armazenamento. Em relação à exposição a raios UV, a resina uretano é semelhante à Epóxi. Também suporta grandes ciclos térmicos, e sua permeabilidade é suficiente para aguentar umidade ascendente.

Pode inclusive ser lavado com vapor, além de ser aplicado em bases com umidade próximas a 12%. Aguenta grandes variações de temperatura, inclusive negativas. É um piso indicado para áreas abertas e externas (mas com proteção contra os raios UV). Por ser autoimprimante, não precisa de selador.

Há ainda as resinas Poliúreias, que reagem em segundos e requerem equipamentos especiais de aplicação, e as resinas Metil Metacrilato. Essas possuem alto nível de reatividade, chegando a poucos minutos, e inclusive conseguem reagir em temperaturas abaixo de zero. Porém, possuem cheiro forte, amarelam se expostas ao sol e geralmente são mais caras.

Foto: Pinterest

CARACTERÍSTICAS GERAIS DO PISO LÍQUIDO

Como visto acima, cada resina usada para se fazer o piso líquido tem seus próprios atributos. Desse modo, não existe exatamente uma melhor, mas sim a resina mais indicada para determinados ambientes, condições climáticas e até mesmo decorações. Contudo, elas têm em comum algumas características em maior ou menor grau, mas que tornam o piso líquido uma opção destacada no mercado.

Entre elas, temos:

– Opções de revestimento liso ou antiderrapante. Há possibilidade de se incluir materiais como areia no tipo liso para torná-lo menos escorregadio;

– Inexistência de juntas de dilatação;

– Após pronto, ele pode apresentar de 2mm a 5mm ou mais de espessura de acordo com o tipo escolhido e a forma da aplicação;

Foto: Decoresalteado
Arquitetura: Hellen Pacheco

– Pode ser brilhante ou fosco;

– Tende a ser um piso auto-nivelante, que se adapta às imperfeições da base onde é aplicado e as corrige. Isso se deve por sua característica líquida. Contudo, o tipo de resina poliuretano necessita um bom nivelamento da base antes;

– O piso líquido monolítico funciona como uma espécie de capa protetora;

– Pode ser monolítico autonivelante, multilayer ou espatulado (argamassado).

Há ainda a pintura Epóxi;

– A resina é vendida de forma líquida, um pouco pastosa.


CARACTERÍSTICAS DO PISO LÍQUIDO CONFORME A APLICAÇÃO

Como mencionado antes, o piso líquido pode ser:

Foto: Clasf Brasil

– Multilayer: Um tipo de piso feito com múltiplas camadas de piso líquido (resina epóxi ou poliuretano). Nele pode-se aspergir quartzo na resina ainda em sua forma líquida. Basicamente aplica-se a camada de resina (com o quartzo em seguida), espera-se ela secar, aplica-se novamente outra camada de resina e assim por diante. Isso possibilita a correção de deficiências da base, do substrato. Quanto mais camadas, mais resistente e espessa ela fica, porém é preciso mais tempo para o piso ficar pronto;

– Espatulado (argamassado): É feita uma argamassa tendo com base resina mais quartzo, sendo misturado por meio de equipamento como misturadora. É um tipo de piso ideal para locais onde é preciso maior resistência à abrasão e também mecânica. Onde há tráfego contínuo e pesado, como em indústrias. Pode ser usado para corrigir superfícies degradadas.

– Autonivelante: Possuem um bom acabamento estético. Podem ter de 1mm a 5 mm ou mais. A resina é aplicada na forma líquida e pura sobre o piso, nivelando a superfície conforme a ação da gravidade. Ela ainda pode ser aplicada em cima das opções multilayer ou espatulada, servindo como acabamento.

Foto: Pinterest

– Pintura: A pintura Epóxi é utilizada como acabamento, servindo mais para aplicação em pisos monolíticos que possuem baixa espessura. Ou para fins estéticos, como em pisos com ilustrações, padrões ou cores distintas. Também é empregada para dar maior brilho ao chão, podendo se obter um efeito espelhado. Há ainda a versão semibrilho e fosca.

Dependendo do tipo, a pintura pode proteger contra raios Ultra Violetas (UV). Possui grande nível de aderência em pisos de concreto, cimentícios etc. Também impermeabiliza o chão, sendo prático a sua utilização em cozinhas, áreas de serviço, banheiros etc. As pinturas poliuretano e uretanos possuem funções semelhantes.

AS PRINCIPAIS VANTAGENS DO PISO LÍQUIDO

– Ele é excelente para ser utilizado em ambientes como cozinha, banheiro e lavanderia, pois é facilmente limpo e higienizado. Como é um piso monolítico, ele tem bom nível de assepsia, ou seja, evita que micro-organismos se proliferem facilmente;

– Ao final da aplicação você não fica com entulhos para descartar;

– Ele pode ser aplicado em cima de diferentes opções de pisos, como alvenaria, granito, azulejo, assoalho de madeira, mármore, metal, cerâmica entre outros materiais;

Foto: Pinterest

– Possui opções brilhantes ou foscas

– Como não há rejuntes, ou juntas de dilatação, ele evita acúmulo de sujeiras, micro-organismos, agentes contaminantes, líquidos etc. O piso líquido em resina Epóxi impermeabiliza o chão, evitando que esses itens infiltrem-se nele. Ou seja, não há absorção de substâncias como óleos, gorduras, bebidas, materiais de limpeza ou produtos que possam gerar manchas no piso;

– O piso líquido possui boa durabilidade e resistência, podendo suportar produtos abrasivos e alguns tipos de agentes químicos com maior teor de acidez. O grau de resistência pode variar conforme a resina escolhida. Porém, em geral todas aguentam bem e possuem alto nível de resistência se comparadas a outras opções mais comuns do mercado;

– O piso líquido em resina Epóxi necessita apenas de uma ou duas demãos para que se fixe no solo;

– Ele possui boa resistência a arranhões, porém não todos. Vai depender do tipo de resina, modelo, marca etc.;

Foto: Habitíssimo

– Aguenta impactos, movimentação de carga e contato com itens de maior peso também conforme o tipo de resina empregado;

– O piso líquido de resina Epóxi pode ser achado em várias colorações, incluindo incolor e opções metálicas. A opção transparente permite manter a cor original da base;

– A aplicação em grandes ou pequenas áreas é simples e fácil;

– A secagem, ou cura, em geral é rápida, conforme o agente endurecedor usado. Isso ajuda a economizar tempo, o que é bom para locais que não podem ficar muito tempo parados, fechados ou sem uso;

– Caso surjam problemas na superfície, ele pode ser reparado facilmente e de forma rápida;

– Como mencionado acima, ele é autonivelante. Ou seja, torna o chão uniforme. Desse modo, ele acaba suprimindo desníveis, falhas ou imperfeições de superfícies irregulares como as feitas de concreto;

Foto: Dinay Pisos

– O piso líquido pode ser personalizado com ilustrações, padrões, estampas, desenhos, esquemas de tons e cores etc. conforme você preferir. Especialmente o Epóxi, pois, como comentado antes, possui mais opções;

– A manutenção geralmente tem custo baixo;

– A opção brilhosa dispensa a aplicação de materiais como cera e outros produtos químicos usados para dar mais brilho ao chão;

– O piso líquido de resinas de uretano e poliuretano aguentam bem as mudanças de temperatura, evitando melhor o aparecimento de trincas e rachaduras precoces;

– Não possui cheiro forte.

Foto: Pinterest

O piso líquido é uma tendência cada vez mais utilizada por arquitetos e decoradores, pois, além das muitas possibilidades de personalização também possui um dos melhores índices de custo-benefício do mercado, sendo prático e de fácil manutenção.

Ao escolher um piso para sua casa ou apartamento, vale a pena dar uma chance a ele! 

Tem mais postagens na página que podem ser do seu interesse: 

Continue lendo ►

Tipos de Papel de Parede

Elyzia Rodrigues | 8.2.17 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Você é do tipo que ainda acredita que para dar um charme á parede é só pintar de uma cor bem chamativa?

Nada disso! Não é novidade que há inúmeras alternativas de revestimento dos mais variados materiais, durabilidade e preço que podemos encontrar.

Foto: Minha Casa

O papel de parede é apenas uma dessas alternativas e mesmo o papel de parede pode ser encontrado em diferentes opções de material, preço e estampas. 

Os papéis de parede que encontramos no mercado podem ser dos seguintes materiais: 

Celulose – é o papel de parede tradicional, sua durabilidade é bem menor se comparada com os outros, por volta de 3 anos. Se mal instalado pode deixar arestas que o rasgam facilmente. A limpeza deve ser feito somente com pano seco.

Foto: Allux Mobile


Poliéster – é um papel de parede que dificilmente vai rasgar, pois é 100% poliéster, a durabilidade dele é bem superior podendo chegar aos 10 anos. Para limpá-lo pano úmido é suficiente.

VinílicoPapel de parede lavável por causa da camada de vinil em sua superfície, porém o sabão deve ser neutro e a esponja macia para não manchá-lo pela ação de produtos de limpeza e buchas de superfícies abrasivas. Durabilidade de aproximadamente 12 anos.

Emborrachado – Esse papel de parede possui uma camada de EVA em sua superfície, por isso pode ser lavado, e vale aqui as mesmas recomendações sobre o uso de sabão neutro e bucha macia feita pelo papel de parede vinílico para não manchá-lo. Também tem durabilidade de 12 anos.


Foto: Catanduva Post

TNT – Sigla de Tecido Não Tecido, este papel de parede é feito de uma mistura de fibras naturais (algodão e lã) e sintéticas (poliéster e polipropileno) que cria um material muito resistente á umidade e de fácil limpeza e durabilidade.  


COM QUE ESTAMPA EU VOU?

O papel de parede possui uma infinidade de tipos de estampas que podem ser divididas entre motivos florais, listras, geométricas, lúdicas, tribais ou etnícos. 


A escolha fica por conta do freguês, mas vale a pena algumas dicas para ajudar na escolha, não é mesmo?

As estampas florais são mais femininas e podem ser em desenhos menores e mais delicados como em desenhos maiores e mais exuberantes. Essas flores podem ser em muitas cores. 

Se o ambiente em questão é muito pequeno, o papel de parede com listras podem dar uma ampliada no espaço tanto horizontal quanto verticalmente. 

Foto: Monta Casa

Se não gosta de quadros na parede pode usar o papel de parede com motivos geométricos ou tribais, pois eles preenchem o ambiente com mais informações dispensando quadros.

Estampa lúdica é uma boa pedida para quartos infantis, ou para uma decoração mais descontraída.

Quer garantir uma estampa com mais realismo? Então vá de papel de parede 3D, eles são encontrados em estampas bastante realistas de todos os tipos citados acima. 

Foto: Mega Criativo
Continue lendo ►

Revestimento 3D - Quando a parede vira um objeto de decoração

Elyzia Rodrigues | 31.1.17 | | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
As paredes não precisam ser somente superfícies lisas decoradas com tinta colorida e papéis de parede, as paredes também podem ganhar diferentes tipos de texturas e se tornarem a própria decoração do ambiente. 

Foto: Alibaba

As inovações tecnológicas permitem que a gente encontre no mercado uma variedade cada vez maior de revestimentos e em muitos casos, as matérias-primas utilizadas são 100% recicladas e recicláveis, ou seja, totalmente sustentáveis.

Você conhece o revestimento 3D?

As placas do revestimento 3D formam um painel decorativo tridimensional em alto ou baixo relevo que podem ser usados tanto nas paredes, quanto nos tetos. Ele pode ser encontrado em diferentes materiais, como gesso, PVC, pet, alumínio ou fibras vegetais como bambu e cana-de-açúcar.

Foto: Construindo Decor
Arquitetura: Amanda Abranches Coelho 

Para cada material existe uma possibilidade de uso (interna ou externa), a possibilidade de utilizar algum tipo de pintura, uma forma de instalação e conservação.

Por sua característica texturizada, esse revestimento ajuda no isolamento termo acústico dos ambientes, podendo servir como fundo para salas de TV e estar, bibliotecas, vitrines de lojas, e outros ambientes diversos com resultados muito interessantes, além disso, pode-se explorar o efeito de luz e sombra formado pelo relevo das peças.

FIBRAS NATURAIS

As placas decorativas fabricadas com fibra naturais como polpa de bambu e cana-de-açúcar são totalmente eco-friendly, pois são recicladas e recicláveis. Seu uso deve ser exclusivamente interno. A colocação é relativamente simples e fácil de ser conduzida, são coladas com cola de contato ou fita dupla-face.

Foto: Comprando meu Apê

São placas resistentes ao fogo e não absorvem água, no entanto, deve-se evitar que esse material seja instalado em locais exposto ao calor e umidade ou vapor excessivos.

As placas decorativas 3D podem ser pintados com tintas comuns á base de água, látex ou especiais como as automotivas. Antes da pintura o painel deve receber demão de selante de acordo com cada fabricante. 


 Foto: Decor Fácil

As placas podem ser cortadas e para dar o acabamento fino depois do corte elas devem ser lixadas. A limpeza do painel deve ser feita somente com pano úmido, não utilizar sabão e cuidado com produto de limpeza com abrasivo.

GESSO

O revestimento 3D de gesso pode ser comprado pronto ou fabricado no local, as placas decorativas são muito rápidas e práticas de serem produzidas, são fabricadas através de formas de silicone e podem ser aplicadas diretamente sobre alvenaria ou drywall. Seu custo é bastante acessível.

Foto: Artefato Gesso

Essas placas decorativas 3D não costumam ser muito usadas em áreas molhadas. Mas se você quer aplicá-lo mesmo assim, opte por modelos com a chapa de gesso acartonado verde, mais conhecida como “chapa RU” que é resistente à umidade.

PVC E PET

São placas decorativas desenvolvidas em liga plástica, resistentes à água, não propagam mofo, são imune a cupins, não propagam chamas. As placas estão acabadas em branco e não necessitam pintura. Podem ser usados em áreas molhadas.

Foto: Mercado Livre

A colocação é relativamente simples e fácil, pois são coladas com cola de contato ou fita dupla-face.

ALUMÍNIO

As placas decorativas 3D de alumínio são fabricadas com acabamento escovado para impedir o reflexo da luz, são também fáceis de instalar, possuem um poderoso adesivo.

Se parecem muito com as pastilhas de inox que já postamos aqui na página e podem ser aplicadas tanto em superfícies internas como externas. 

Foto: Studio 1202


O revestimento 3D é vendido em metro quadrado (m²) e deve ser instalado em uma superfície lisa e livre de umidade.

O preço para compra das placas decorativas 3D vai depender do fabricante e do material da sua escolha.

Foto: Pinterest

As placas decorativas 3D de gesso são os mais baratos e as de alumínio as mais caras. 

Que tal dar um destaque á parede de sua casa? Conta aqui como ficou, quais foram suas dificuldades, quanto custou, quem fez para você. Mostra a foto de como ficou.

Se quiser ser o primeiro a receber as postagens que a gente publica, cadastre o seu e-mail no botão “Acompanhe”.

Tem outras postagens interessantes aqui na página: 


Fonte: 

Continue lendo ►

Como escolher um terreno sem erros

Elyzia Rodrigues | 24.1.17 | | | | | | Seja o 1º a comentar!!
Muitas pessoas acreditam que um terreno ou lote para ser bom precisa ser plano... Nada disso! 

Um terreno pode ter inúmeras características e elas podem ser boas ou não. Tudo vai depender do que você espera dele e de que forma o arquiteto que vai elaborar o seu projeto adeque suas necessidades e desejos ao potencial que todo terreno tem. 

Foto: Imagem Francis D'Ávila
Arquitetura: Casa Thiago & Kelly - 2015
Elyzia Rodirgues - Sabará - MG

Há alguns pontos importantes que devem ser avaliados quando adquirir um terreno.

Para comprar um terreno ideal, você pode contratar um arquiteto para ajudá-lo, mas tenha o máximo de clareza o que idealiza, como é o terreno que imagina, como a sua casa nele ficaria nele, como é sua redondeza, quem são seus vizinhos mais próximos, quais serviços quer ter perto de sua casa ou o quanto quer que ele seja isolado da cidade e integrado á matas e áreas mais rurais.

Visto isso, anote aí: 

Documentação em dia:

- Para que não corra o risco de se apaixonar por um terreno e não poder chamá-lo de seu, verifique se ele se encontra num loteamento aprovado, se está em dia com o licenciamento ambiental e se não há questões judiciais pendentes.

Foto: Cimento Itambé

- Verifique se o terreno que está interessado realmente existe. Para saber isso procure o Cartório de Registro de Imóveis, veja também se suas dimensões são as mesmas apresentadas pelo corretor. Um item importante, se o terreno já teve vários proprietários em pouco tempo, atenção, ele pode ter algum problema.

- Verifique se os vizinhos ao terreno não invadiram suas divisas. Levar uma trena para visitar o loteamento é uma ótima ideia. Lembre-se de levar uma com mais de 10 metros de comprimento para medir com mais precisão.

- Não assine contrato de compra com as certidões negativas em aberto, com registro de imóveis desatualizados, ou com proprietários envolvidos em ações judiciais que possam comprometer o futuro do lote.

Características do terreno: 

- Não adquira terrenos em topo de morros, eles podem ser protegidos por legislação ambiental e isso inviabilizar a construção da sua casa. 

Foto: Revista Kaza
Casa Mata Atlántica - RJ
Carlos Motta

- Terrenos em que há nascentes, córrego ou lago podem ter legislação específica de uso, se informe o que é permitido e o que é restritivo para a ocupação do terreno.

- Terrenos com grandes desníveis e com muitas pedras na superfície podem aumentar e muito os custos com as fundações, pois elas precisarão ser mais profundas. Se estão sujeitos á alagamentos também exigirão uma fundação especial.

- Para ter certeza absoluta dessas informações é necessário fazer uma sondagem, que é um serviço que verifica qual a profundidade segura para a fundação se ancorar. Mas antes de comprar o terreno você pode perguntar aos vizinhos qual o tipo de fundação eles usaram, para já ter ideia dos custos. 

Vizinhança:

- Verifique se na redondeza do terreno há muitas ocupações irregulares, isso futuramente pode vir a desvalorizar o seu investimento. 

Foto: Matéria Incognita
Casa em terreno estreito - Osaka - Japão
Arquitetura: Kenji Ido

- Se a facilidade de acesso e a infraestrutura de transporte, lazer, serviços próximas ao terreno é importante para você, verifique quais serviços existem e quais deles pode abrir mão. Vale lembrar que transporte público pode ser importante caso empregue babás, jardineiros ou empregados domésticos que não tenham carro.

- Se você sonha com um lugar mais tranquilo e silencioso, evite terrenos próximos á ruas e avenidas muito movimentadas ou que pela largura já demonstram que poderão acomodar serviços de maior impacto como casas noturnas, supermercados e hospitais.

Foto: Zagra

- Prefere um terreno mais longe da área urbana? Então, certifique-se que a concessionária de luz, de abastecimento de água e as redes de esgoto, de gás e serviço de redes móveis chegam ao seu terreno.

Consultoria de Arquitetura

- Para fazer uma compra com mais segurança ainda contratar um arquiteto pode ser fundamental, pois por conhecer a Lei de Uso e Ocupação do município conseguirá visualizar com mais clareza as diretrizes legislativas exigidas para o seu terreno.

Foto: Sabará

- Verifique com o arquiteto se a forma irregular do terreno não impede o programa do seu projeto.

- Defina com junto a ele se vai economizar na compra ou economizar na obra, peça a ele ajuda para verificar o quanto o terreno disponível facilita ou dificulta a construção da casa que você deseja. 

Quer saber mais sobre consultoria de arquitetura ou como funciona o trabalho do arquiteto? 

Essas postagens podem ajudar: 

Continue lendo ►

7 espécies de árvores ideais para calçadas

Elyzia Rodrigues | 17.1.17 | | | | | Seja o 1º a comentar!!
As árvores são elementos especiais e fundamentais em ruas e avenidas, das cidades, pois, além de embelezar, elas possuem um importantíssimo papel no equilíbrio térmico, refrescando onde quer que estejam. 

Tenho certeza que todo mundo um dia já andou em uma rua sem nenhuma árvore sob o sol das 14horas...

Foto: POA Vive
Rua Gonçalo de Carvalho - Porto Alegre - RS

Bem, além contribuir para o equilíbrio térmico, as árvores também colaboram com a redução da poluição sonora e do ar e ainda fornecem sombra, refúgio e alimento para as diferentes espécies de aves.

São inúmeros os benefícios que as árvores nos proporcionam, eles não param por aqui, podemos citar a produção de oxigênio, a proteção contra ventos, á fixação de carbono e também a função de regulação das chuvas.

Porém é importante não esquecer que a escolha correta da espécie para o plantio em calçadas é fundamental.

Foto: Click Foz
Calçada Avenida Paraná  - Foz do Iguaçu - PR

Em primeiro lugar, se você deseja plantar uma árvore na calçada da sua casa, deve procurar a prefeitura da sua cidade.

Embora não seja comum em todas as cidades, a maior parte delas possui um plano de arborização urbana, com a definição das espécies de árvores indicadas por profissionais.

Normalmente, você pode solicitar o plantio à prefeitura, ou buscar as mudas no viveiro municipal, isso muda de cidade para cidade.

Foto: CBN

É muito importante prestar atenção na escolha da árvore. Mesmo que exista a definição do porte das espécies, o plantio da árvore errada pode provocar muita dor de cabeça no futuro.

Tubulações de água e esgoto estourados e quebra do piso de calçadas provocadas pelas raízes, galhos que se entrelaçam na fiação da rede elétrica, galhos que ameaçam cair a qualquer momento, frutos pesados e ramos espinhentos que ferem os pedestres, sujeira e mal cheiro advindo de frutos, folhas ou flores caídos que entopem calhas e bueiros, entre muitas outras situações desagradáveis e perigosas.

Nessas situações geralmente não podemos fazer muita coisa e na maioria dos casos o corte ou poda é permitido apenas à prefeitura e/ou à companhia elétrica.

Foto: CBN

Cortar uma árvore sem autorização pode lhe render multas pesadas e, dependendo da espécie, ser considerado crime ambiental. Você terá que solicitar o serviço e aguardar que aprovem. Então escolha bem, pois uma árvore pode viver mais tempo que você.

Confira uma lista com 7 espécies que são indicadas para calçadas. 

01. Manacá da Serra: Tibouchina mutabilis


O Manacá é uma belíssima árvore que nos proporciona admirar suas flores em três cores diferentes simultaneamente: brancas, rosas e roxas, de acordo com a idade da flor. Atinge até 6,0m de altura.

02. Pata-de-vaca: Bauhinia foficata


Árvore brasileira, nativa da Mata Atlântica, de porte médio com uma das mais belas flores e folhagens.

Possuem raízes profundas que não estouram as calçadas. Uma ótima opção para ser usada como decoração e em regeneração de matas degradadas.

03. Quaresmeira: Tibouchina granulosa


É uma árvore de pequeno porte e raízes profundas. Elegante e bela, apresenta uma linda floração roxa que ocorre duas vezes por ano.

Possui um fruto bem pequeno e é uma das principais árvores utilizadas na arborização urbana no Brasil.

04. Dama-da-noite: Murraya paniculata

Foto: Flick 

Também conhecida como Murta-de-cheiro; Jasmim-laranja; Murta; Murta-da-Índia e Murta-dos-Jardins, a Dama-da-noite é um arbusto grande (ou arvoreta) que pode alcançar até 7,0m de altura. 

É muito utilizada para a formação de cercas-vivas.

A Dama-da-noite apresenta ramagem lenhosa e bastante ramificada. Suas folhas são pinadas, com 3 a 7 folíolos pequenos, elípticos, glabros e perenes. Durante todo o ano produz inflorescências terminais, com flores de coloração branca.

05. Flamboyant-mirim: Caesalpinia pulcherrima


É uma árvore (alguns consideram arbusto lenhoso) de pequeno porte da família das leguminosas. De rápido crescimento, suas folhas são recompostas com folíolos pequenos e permanentes.

Sua copa tem um formato arredondado e pode atingir de 3,0m a 4,0m de altura. Suas flores são vermelhas, alaranjadas, amarelas, rosas ou brancas dependendo do cultivar, dispostas em cachos paniculares. Sua época de floração é entre setembro e maio.

06. Escova-de-garrafa: Callistemon ssp


As escovas-de-garrafa apresentam porte arbustivo ou de árvore pequena alcançando de 3,0m a 7,0m de altura. Suas folhas são em geral pequenas lanceoladas a lineares, verdes, sésseis, perenes e aromáticas, que vão se tornando bronzeadas com o tempo.

Mas é nas inflorescências que reside o encanto desta árvore. Elas têm um formato cilíndrico com numerosos estames, semelhantes às escovas utilizadas para lavar garrafas. São muito resistentes à seca.

07. Cássia-do-nordeste: Senna spectabilis


É uma árvore da família das fabáceas, conhecida por diversos nomes populares como: Cássia; Cássia-do-nordeste; Cássia-macranta; Habú; Fedegoso do Rio e Macrantera. De crescimento rápido, atinge um porte de até 4,0m por 4,0m de diâmetro da copa arredondada.

As folhas são pequenas e caducas. A floração decorre entre março a abril e origina flores de cor amarela. A frutificação é do tipo vagem e decorre de abril a maio. É uma planta com origem no Brasil.
A diversidade de árvores é enorme e você pode gostar justamente de uma que viu na calçada de um amigo, em uma praça, parque ou sítio.

Foto: Cidades que Piram
Calçada Copacabana - Rio de Janeiro - RJ
Continue lendo ►