0

Ventilador, circulador ou climatizador?

Elyzia Rodrigues | 20.1.15 | | | | |
Ai... Quanto calor!
É... O calor ainda persiste por aqui.
Se você não está num ambiente com ar condicionado, ou não pode ficar curtindo sombra e água fresca sob um pergolado, porque não está de férias, então é hora de providenciar outras formas de amenizar o calor.


Então vamos correndo atrás de um bom ventilador!!!
Mas como escolher um bom ventilador? Aquele que possa trazer “bons ventos” pra nós?

HISTÓRIA
O ventilador é um dispositivo mecânico criado em 1882 pelo americano Schuyler S. Wheeler, utilizado para converter energia mecânica de rotação aplicada em seus eixos em aumento da pressão do ar.


Foto: Wikipedia

O fluxo de ar criado pela rotação dos eixos do ventilador ocorre de duas formas diferentes, pode direcionar ar para dentro do ambiente, no caso dos sopradores, ou pode retirar ar do ambiente, chamado de exaustores. 

Foto: Exaustor e Ventilador - Casas Bahia

Por enquanto vamos falar dos sopradores, ou simplesmente ventiladores, como é mais conhecido popularmente.
Existem diferentes tipos de ventiladores no mercado, tem os de teto, os de parede, os de piso, que podem ser mais baixos ou em pedestal, os ventiladores de mesa, mas também, os circuladores de ar e os climatizadores de ambiente.

Foto: Línio

Os ventiladores são adaptáveis em qualquer ambiente, alguns modelos além de ventilar possuem luminária acoplada. 
Eles podem reduzir a temperatura ambiente em até 3 graus.

Foto: Online Net

Para escolher um ventilador temos que considerar o material, o número de pás, controle de velocidade, consumo de energia, iluminação, local a instalar, decoração e preço.

MATERIAL
A escolha do material deve levar em conta as condições climáticas, em regiões litorâneas e principalmente em casas de praia, é preciso apostar no uso de ventiladores com o mínimo de peças metálicas por causa da maresia que pode oxidar essas peças num curto período de tempo.

Foto: Shoptime

Em áreas não litorâneas, mas com alto índice de poluição, escolha um ventilador em material mais resistente, pois o equipamento certamente será submetido á constantes limpezas.

NÚMERO DE PÁS
Quanto maior o número de pás, maior a capacidade de espalhar o ar no ambiente.
A inclinação das pás e a velocidade com que giram influenciam no desempenho do aparelho.

Foto: Habitíssimo

Os modelos fabricados no Brasil costumam ter angulação entre cinco e seis graus, nos ventiladores importados essa angulação de pás fica por volta de quinze graus.

Mas deve-se observar que, quanto maior o ângulo, mais rápido as pás farão o giro, logo o motor do ventilador deverá ser mais potente, mais potência de motor significa mais consumo de energia e em alguns casos mais ruídos.


Foto: El Mueble

Escolha um ventilador que tenha a etiqueta de consumo do INMETRO, assim você evita surpresas na conta de luz e para verificar a intensidade de ruídos experimente na loja antes de comprar.

CONTROLE DE VELOCIDADE
Imagine um ventilador que tenha somente as funções, ligado/desligado, embora não sejam mais tão comuns eles ainda existem.

Foto: Gerbar

Escolher aparelhos assim é optar por uma restrição de níveis de desempenho do ventilador e não acredito que valha a pena. 
Opte por ventiladores que a intensidade de ar possa ser controlada.

ILUMINAÇÃO
Alguns modelos de ventiladores, principalmente os de teto, além de ventilar possuem luminária acoplada.

Foto: Gerbar

Eles normalmente são instalados no ponto onde antes era de iluminação.
Ao escolher o ventialdor que vai comprar certifique-se de que a luminária tem dimensão suficiente para acomodar lâmpadas com a mesma capacidade de iluminar o ambiente que a lâmpada a ser removida, ou ambiente corre o risco de ficar mal iluminado.

Foto: Gerbar

DECORAÇÃO
Os ventiladores podem ventilar, iluminar e também decorar.
A escolha pelo modelo do ventilador vai depender de como quer que ele apareça no ambiente, se quer que ele desapareça no ambiente, ou apareça como o principal elemento da decoração. 

TIPOS
A principal diferença entre os tipos de ventiladores é o alcance ou intensidade do vento.
Ventiladores de teto produzem uma brisa mais uniforme que se espalha pelo ambiente gerando uma climatização em toda a área sem deixar o ar seco.

Foto: Gerbar

Ideal para ambientes menores em que aparelhos de piso e parede ocupem muito espaço.
O alcance médio de um ventilador é de 15,0 a 25,0m². Alguns modelos fazem as funções de sopro e exaustão num único aparelho.

Foto: Gerbar 

O ventilador de teto deve ser instalado a aproximadamente 2,30m do piso e a 0,70m distante de paredes e armários altos.
O ventilador tem que ser preso na laje mesmo em ambientes com rebaixamento de teto com forro de gesso ou acartonado.

Foto: Gerbar 

Ventiladores de parede produzem mais vento, seu alcance médio é maior, em torno de 50,0m², porém o vento não é uniforme como nos ventiladores de teto.
A instalação recomendada é no mínimo 2,10m do piso.

Foto: Valentines Gift

Lembre-se que ao fazer a instalação, a altura escolhida deve ser suficiente para garantir a circulação das pessoas com segurança, sem o perigo de baterem com a cabeça, ou terem seus cabelos atraídos pelo vento. 
Cuide também para que a instalação do ventilador não concorra com a entrada de vento natural pelo ambiente.
Outro ponto importante, as paredes de drywall deverão ser reforçadas internamente antes da instalação do ventilador.

Foto: Thinking Design

Alguns modelos de ventiladores portáteis também permitem fixação na parede.
Os ventiladores portáteis consomem entre 3,2Kw/h a 6,4Kw/h ao longo de 30 dias, logo sua conta de luz pode ficar entre R$ 2,60* e R$5,25* mais cara.

Os ventiladores de mesa são de uso individual, são aparelhos menores e o seu alcance de vento também é menor, e como o de parede não é uniforme.

Foto: Escritório da Luz

Existem inúmeros modelos de ventiladores de mesa, alguns á pilha e até aqueles que podem ser acoplados ao computador, via conector USB.

Foto: Alibaba - Mercado Livre

Foto: Uol


Os circuladores de ar, diferentes dos ventiladores comuns que direcionam a intensidade do vento numa única direção, promovem a circulação de ar fazendo com que ele seja distribuído em todo o ambiente de forma mais homogênea.


Foto: Arno

É ideal para pessoas que se incomodam com de vento direto de alta intensidade, ou para crianças e idosos mais sensíveis, como o aparelho direciona o vento em várias direções a intensidade diminui, com isso eles têm menor capacidade de refrescar os ambientes.
Por causa da menor intensidade de vento são mais silenciosos.
Podem ser portáteis ou fixados na parede.

Foto:Decorar

A altura de instalação na parede deve seguir o mesmo raciocínio de ventiladores de parede, escolhida de modo a garantir a segurança das pessoas.
Os climatizadores são aparelhos que amenizam a temperatura e a umidade do ambiente por meio da circulação de ar e evaporação da água, promovendo melhora na qualidade de ar.

Foto: Buscapé

É o aparelho ideal para tempo seco, para pessoas com problemas respiratórios ou outras complicações da saúde.
Alguns modelos de climatizadores podem tanto resfriar como aquecer o ambiente.
A temperatura ambiente pode ser reduzida em até 5 graus.

Foto: Buscapé

Seu consumo médio é de 8,4Kw/h, impacto de R$6,90* na conta de luz.
Esses aparelhos necessitam de água para funcionar, assim é preciso atenção para não usar a função “climatizar” com o reservatório vazio, pois poderá danificá-lo seriamente.

Foto: Ecobrisa

Os climatizadores, por umidecerem o ambiente, não são adequados para regiões quentes e úmidas.
Há inúmeros modelos de ventiladores, circuladores de ar e climatizadores de ambiente no mercado.

Foto: Diconexiones
Marco Gallegos - Fan 1

As inovações aparecem no número de pás, na incorporação de repelentes de insetos, no design mais compacto, além do uso de motores mais potentes e silenciosos, menor consumo de energia.

Foto: Gerbar

Com essas inovações tem sido mais fácil encontrar um aparelho que forneça alto fluxo de ar, baixo nível de ruído, design, segurança e facilidade de uso.
Atenção!
Ventiladores são aparelhos que devem ficar fora do alcance das crianças, sempre!

Foto: Wap

Porém, existe um modelo de ventilador sem hélice que é bastante seguro para quem tem crianças em casa, claro, guardando as devidas proporções por ser um aparelho elétrico. 
 O ventilador sem hélice funciona através da captura do ar por pequenos orifícios na sua estrutura fazendo com que ele circule pela parte interna do aro e saindo pela parte frontal.
Tudo isso acontece por causa dos aerofólios utilizados para direcionar o ar em circulação.
Do contrário, seria difícil manter o controle sobre o ar que passa por este aparelho. 

Foto: Tend Tudo

Apesar de parecer muito simples, o ventilador novo chega a ser 15 vezes mais potente que um aparelho comum.

MANUTENÇÃO
A manutenção de ventiladores, circuladores e climatizadores deve ser feita de acordo com a intensidade de uso.

Foto: Marido de Aluguel

Os aparelhos devem ser limpos periodicamente com pano úmido e sabão neutro sempre que houver acúmulo de poeira, principalmente nas pás.
Eventualmente, faça uma limpeza mais caprichada para que o acúmulo de sujeira não comprometa o funcionamento do aparelho. Caso não esteja seguro em fazê-la, contrate um técnico para fazer esse serviço para você.

Foto: IG

É importante verificar, pelo menos uma vez por ano, se os parafusos de fixação dos aparelhos presos em teto e parede estão devidamente firmes.
Aparelhos de teto com parafusos frouxos trepidam causando ruídos e as lâmpadas costumam queimar mais facilmente.
Verifique se o encaixe das mesmas está ok antes de fazer a troca.

Foto: Escova para limpar ventilador
Tecnoclean

Nunca faça a limpeza do aparelho com ele ligado.
*Estes valores são referentes á data da postagem.

Esta postagem também pode interessar:

Fonte:




Nenhum comentário:

Postar um comentário