0

O que é granilite?

Elyzia Rodrigues | 3.11.15 | | | | |
Já falamos aqui sobre o piso feito de cimento queimado, hoje falaremos sobre o piso em granilite ou marmorite.

Foto: Casa & Jardim

Eles são bastante semelhantes na forma de execução, ambos são o que chamados de piso monolítico, ou seja, um piso sem muitas juntas com aparência mais uniforme, a diferença entre eles é a resistência.

O granilite é muito mais resistente que o cimento queimado por causa dos minerais existentes em sua composição.

O granilite é uma mistura de cimento branco ou comum, areia e água com partículas de diferentes tamanhos de mármore, granito, quartzo entre outros minerais.


É a proporção perfeita entre esses elementos que vão garantir sua qualidade. 

Quanto mais duro o mineral mais resistente o granilite, o quartzo é o mineral mais resistente, seguido do granito e do mármore.

O granilite é muito utilizado em piso de shopping, escolas, hospitais, supermercados, andares corridos de centros comerciais, passeios e grandes áreas externas, por sua facilidade de higienização e manutenção.

O granilite pode ser feito em diferentes texturas polido ou fulgê, também conhecido como granilite lavada.

GRANILITE POLIDO

Como o próprio nome define sua superfície é totalmente polida, eliminando todas as irregularidades dos grânulos minerais, após seu polimento ainda recebe uma camada de resina impermeabilizante. 

Foto: Gerência Obras

O granilite polido é um revestimento que não deve ser usado em áreas molhadas como cozinhas e banheiros, nem em áreas e escadas externas, pois após o polimento ele se torna extremamente escorregadio.

Ele pode ser usado tanto em piso, rodapés, soleiras e peitoris, quanto em paredes e bancadas. Possui grande resistência á abrasão, principalmente quando o piso é feito com grânulos maiores.

GRANILITE LAVADO OU FULGÊ

O granilite lavabo ou fulgê é o revestimento sem o polimento, com isso as irregularidades dos grânulos continuam presente o que garante ao piso uma superfície áspera, antiderrapante, ideal para revestir circulações, rampas, escadas e outras áreas externas, inclusive em volta de piscinas.

Foto: Decor Fácil

Seu aspecto é mais rústico.
Pode ser usado também em paredes tanto em áreas secas como molhadas. 

APLICAÇÃO

Ambos os tipos, tanto o granilite polido quanto o lavado ou fulgê devem ser aplicados por uma mão de obra especializada ou no mínimo por um profissional que domine a técnica de aplicação.

O contrapiso em que será aplicado deve estar bem nivelado, sem depressões ou saliências, sem esfarelamento, sem sujos de graxa, óleos ou outros tipos de produtos é importante que seja um contrapiso com aspereza suficiente para dar boa aderência ao produto.

As juntas de dilatação não podem ser curvas ou tortas e precisam ser assentadas criando espaçamento contínuo 1,0m x 1,0m em pisos e 1,5 x 1,5m em paredes, para minimizar a incidência de trincas.

Foto: Conclave Pisos

A argamassa de granilite é espalhada e desempenada sobre o contrapiso.

Em cima dela vêm grãos adicionais, que ficam na superfície. A massa é alisada com desempenadeira de aço.

A espessura final fica entre 12 e 15 mm. 

Foto: Mapa da Obra

É necessário aguardar a cura da argamassa, em torno de uma semana. 

O cimento precisa reagir com a água para ganhar resistência, o que vale inclusive para o contrapiso.
Os próximos passos diferem conforme o acabamento. 

No caso do granilite lavado ou fulgê, o cimento que recobre as pedras é retirado com esponja úmida, o que pede mais dias de cura. 

Foto: Tudo e Demais

Então as pedras em relevo são limpas, e o revestimento está pronto.
Caso seja solicitado, pode receber resina. 

Já no granilite polido, após a primeira cura vêm o polimento grosso e a estucagem, processo para preencher os poros abertos. 

Essa calda de estucamento deve ter a cor exata da argamassa, senão podem surgir manchas.

Foto: Mapa da Obra

A dica aqui é que o polimento seja feito com iluminação muito boa para o brilho evidenciar as imperfeições, em ambiente pouco iluminado essas imperfeições não são vistas e podem deixar o acabamento com polimento a desejar.

Aguarda-se nova cura por no mínimo dois dias, quando é feito o polimento fino (com máquina manual em cantos e áreas acima de 1,60 m de altura) e finalmente a aplicação de resina. O uso da resina vai exalar cheiro forte. 

Por eliminar a etapa do polimento, a colocação do granilite lavado ou fulgê tende a ser mais breve, apesar do assentamento demorado. 

Foto: Uol

Numa área de 40 a 60 m2, o tempo de aplicação do granilite polido leva cerca de 20 dias e do granilite lavado ou fulgê, cerca de 12 dias.

Tal como o cimento queimado ele também está sujeito a trincas e fissuras, e estas fazem parte da sua aparência natural.

Porém, para minimizar o surgimento de trincas é preciso respeitar o tempo de cura e ser preciso na proporção entre os componentes da argamassa.

MANUTENÇÃO

A manutenção desse tipo de piso é tão simples como a do cimento queimado com sabão neutro e água. 
O granilite lavado ou fulgê não deve ser lavabo com máquina de pressão com bico pontual, pois desagrega os grânulos do revestimento. 

Foto: Maxres

Se fizer uso de equipamento para lavação dê preferência a de bico em leque.

Com os mesmos compostos empregados no granilite artesanal, também encontramos no mercado o revestimento para piso apresentado em placas prontas tem como vantagem a aplicação semelhante à de pedras naturais (com rejunte de 2 a 4 mm) e a reposição de peças.


A vantagem é poder descartar as peças com trincas, mas a desvantagem é o custo mais alto, além do material é preciso pagar pela aplicação. 

Gostaram da apresentação de mais um revestimento bom, bonito e barato? 
Comentem sobre o que acharam. 


Fonte: 














Nenhum comentário:

Postar um comentário